Qual é o trabalho de um voluntário da Portas Abertas?

Descubra como brasileiros servem a Igreja Perseguida com dons e talentos

Portas Abertas • 05 dez 2022


A Portas Abertas no Brasil conta com 500 voluntários de diferentes cidades e estados

A Portas Abertas no Brasil conta com 500 voluntários de diferentes cidades e estados

Em comemoração ao Dia Internacional do Voluntário, a Portas Abertas agradece aos irmãos e irmãs na fé que doam seu tempo e talentos para propagar a causa da Igreja Perseguida. No Brasil, contamos com cerca de 500 voluntários, mas temos outras centenas que apoiam em outros países.

Há mais de 65 anos, o Irmão André entendeu que a missão dada por Deus era fortalecer os cristãos que ainda restavam em países onde havia perseguição. Para fazer esse trabalho grandioso, era necessário o envolvimento de mais pessoas com diferentes dons e abilidades. Por isso, o Senhor tem chamado pessoas de diferentes povos, línguas e nações para servir a Igreja Perseguida. 

Quem são os voluntários da Portas Abertas? 

Atualmente, a Portas Abertas conta com voluntários que atuam como correspondentes locais, tradutores, organizadores de grupos de oração e apoio em diferentes eventos.

Desde 2017, Paulo S. Martins Jr., de Praia Grande/SP, atua como tradutor tanto de conteúdo como dos cristãos perseguidos que vêm ao Brasil para compartilhar seus testemunhos. “Trabalhar como voluntário na tradução dos textos e testemunhos é ter a oportunidade de conhecer mais a fundo a realidade da igreja no presente tempo; também é uma forma de estar mais conectado com nossos irmãos e irmãs”, revela.

O cristão brasileiro costuma passar duas semanas viajando com os correspondentes internacionais que visitam as igrejas e isso permite que ele conheça mais sobre a vida, família, ministério e realidade de cada irmão. Ele relembra de uma frase que uma cristã perseguida disse: “Deus tem sido um pai para meus filhos (órfãos de pai terreno), e um defensor da minha causa (viúva) e através de vocês, também tem aumentado a minha família e me restaurado a alegria de viver.”

Ana Caroline Alves da Silva, de São Paulo/SP, é voluntária no Acampamento Underground. O evento de simulação da perseguição acontece há 20 anos e visa despertar e conscientizar cristãos brasileiros sobre a realidade da Igreja Perseguida. “Senti o chamado latente em servir e viver mais daquilo que eu vivi como acampante, eu não queria perder aquele sentimento de urgência”, conta.

A voluntária completa: “É satisfatório servir junto com quem amamos, sentir a unidade do corpo de Cristo em favor de uma única causa. Saber que enquanto estamos trabalhando, também estamos servindo aos nossos irmãos perseguidos.”

Já Railda Vieira Pinto, de Guarulhos/SP, trabalha como correspondente local e representa a causa da Igreja Perseguida na região onde mora. Ela se tornou voluntária em 2018, pois ficou encantada com o trabalho de amor em favor dos cristãos perseguidos. “A experiência de ser correspondente é ser responsável por semear essa semente de amor, serviço e intercessão pela Igreja Perseguida”, completa.

Apesar de cada voluntário trabalhar em diferentes áreas, todos são unânimes em dizer que é gratificante trabalhar para o despertamento da igreja brasileira em relação à Igreja Perseguida. Paulo Martins explica que ao servir como voluntário é possível suprir aos necessitados e ainda ser motivo de muitas pessoas serem gratas a Deus. "Por meio dessa prova de serviço ministerial, outros louvarão a Deus pela obediência que acompanha a confissão do evangelho de Cristo e pela generosidade em compartilhar seus bens com eles e com todos os outros", finaliza. 

Ana Caroline também convida outros participantes do Acampa UG a ajudarem na organização de mais eventos que vão impactar cristãos interessados em conhecer melhor a realidade dos cristãos perseguidos. "E eu recomendo a todos meus amigos que já foram acampantes que se voluntariem!! É recompensador", diz. Railda também chama os brasileiros interessados: "Doe o seu tempo em prol dos nossos irmãos da Igreja Perseguida, isso é servir como Jesus serviu."

Conheça também o testemunho do voluntário da Portas Abertas, Pastor Geraldo José. 

Como ser um voluntário da Portas Abertas?


As pessoas que desejam ser voluntários da Portas Abertas precisam observar os seguintes requisitos:

  • Ter mais de 18 anos;
  • Ter disponibilidade; 
  • Já ser um parceiro. 
  • Ser membro ativo de uma igreja local;

O que fazer?

Enviar um e-mail para voluntarios@portasabertas.org.br ,solicitando participação no programa.  

Você receberá os seguintes documentos para preencher e enviar de volta:

  • Carta de recomendação pastoral;
  • Formulário de Inscrição de Correspondente Local;
  • Termo de Adesão ao Serviço Voluntário;
  • Leitura e comentário do livro O Contrabandista de Deus.

Pedidos de oração

  • Agradeça ao Senhor por todos os voluntários da Portas Abertas no Brasil e mundo. Peça que ele derrame bençãos sem medida sobre cada um.
  • Clame para que os voluntários atuais sejam cheios do Espírito Santo e tenham sabedoria na divulgação da causa da Igreja Perseguida.
  • Ore para que mais pessoas sejam tocadas por Deus para se voluntariar. Que elas sejam instrumentos nas mãos do Senhor. 

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco