Socorro a cristãos durante a pandemia da COVID-19

Com menos de 1 real por dia, você salva o dia de alguém

Socorro a cristãos durante a pandemia da COVID-19
Temos vivido no Brasil consequências muito difíceis da pandemia do coronavírus. Imagine em países mais pobres e onde os cristãos são perseguidos. A situação é extrema, de fome e falta de recursos básicos. Não podemos ficar indiferentes diante da dor de nossos irmãos. Cada real que você doa pode fazer a diferença entre a vida e a morte neste cenário de dupla vulnerabilidade – perseguição e fome. Doe e faça a ajuda emergencial, como alimentos e suprimentos básicos, chegar até eles!

COVID-19 na Igreja Perseguida

Em alguns países da Ásia, vários cristãos perseguidos perderam a fonte de renda por causa do isolamento social e estão enfrentando diversas necessidades, como a falta de alimentos. Pastores que não recebem renda, trabalhadores autônomos que não têm sido contratados, professores cujas escolas foram fechadas. Esses são alguns exemplos de diversas situações que eles têm enfrentado.

Uma questão de vida ou morte

"Os cristãos podem morrer ou se converter novamente ao islã se não tiverem meios de sobreviver”, diz Sam, colaborador da Portas Abertas no Sudeste Asiático. Em sociedades tribais, como Bangladesh rural, você não pode sobreviver sem a comunidade. A maioria dos cristãos é de origem muçulmana, hindu ou budista. Suas famílias e comunidades não concordam com a nova fé e não fornecerão nenhuma ajuda nessas circunstâncias.

“Percebemos rapidamente que, em muitos lugares, os cristãos estavam em uma posição muito vulnerável. Muitos trabalham por dia, assim, nenhuma renda no dia geralmente significa que não há refeição naquele dia. A fome tornou-se uma ameaça real para esses cristãos. Se eles morrerem, a igreja morre com eles. Logo, a pergunta é: haverá igreja depois do coronavírus?”, questiona o diretor da Portas Abertas na Ásia.

Ao doar para qualquer projeto você se torna um parceiro e recebe de presente a assinatura da Revista Portas Abertas, com validade de um ano. (Sabemos que a pandemia da COVID-19 afetou muitos parceiros e, por essa razão, estamos estendendo o período de recebimento da Revista Portas Abertas de 12 para 15 meses após a última doação, a partir de abril de 2020).

R$
INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE