A situação de Nias quatro dias pós o terremoto

| 02/04/2005 - 00:00


"Quatro dias após o terremoto de 8,6 escala richter a população de Nias ainda não tem coragem de voltar a sua região, pois ainda acontecem outros terremotos embora menores. Em especial em Gunung Sitoli que foi a mais destruída, muitos se refugiaram em Sibolga, passando pelo mar. Muitos feridos estão em Sibolga porque o hospital em Gunung Sitoli ainda não pode funcionar, devido a falta de eletricidade e gerador. Só o escritório do governador está com gerador. Tudo as escuras. A população de Sitoli até o aeroporto Binaka a 25 km. da cidade fica com tochas acesas em frente das suas casas. Outros queimam pneus usados. Muitos dormem na frente das suas casas nas tendas de plástico. Temem outros terremotos. A ajuda alimentar ainda está escassa, esta manha o povo lutou na distribuição. As autoridades não conseguem enviar com rapidez a ajuda. Além da ilha de Nias o terremoto atingiu a ilha de Simeuleu (que faz parte da província de Aceh).

A ajuda médica começa a entrar em Sibolga. As equipes de ajuda da Austrália e da Espanha que estavam a caminho aos seus países no dia 26 de março de Aceh deram meia volta e entraram em Nias. A equipe francesa também está lá. É difícil alcançar toda a região de Nias como ilhas. Aviões grandes não podem aterrissar no pequeno aeroporto. Assim somente helicópteros conseguem entrar. A situação para entrar com helicópteros ainda está desorganizada. Entrar por terra leva muito tempo. Somente a ONU consegue enviar ajuda medica com rapidez pois possuem os seus próprios helicópteros, voando de Banda Aceh. Mais de 50 mil pessoas da ilha de Simeuleu se refugiam na região montanhosa. Somente 17 corpos foram retirados ate agora de Simeuleu Leste. Há ainda sete cidades fora de alcance devido a destruição das estradas.

Não se consegue ainda muita informação devido a dificuldade de comunicação, mas sabe-se que algumas igrejas foram destruídas no terremoto e as ondas de tsunami de 3 metros de altura. Alguns obreiros da nossa parceira perderam familiares e outros ainda estão desaparecidos. Orem por eles.

Uma enfermeira nossa estará se juntando a equipe da nossa parceira indo a Nias no dia 5 de abril levando ajuda médica. Se conseguirem autorização, entrarão via aérea em Gunung Sitoli. Se não, tentarão por terra ate Sibolga e de lá de barco para Gunung Sitoli. OREM por proteção e segurança, que possam prestar ajuda e consolar os que estão sofrendo."

Notícia enviada pela equipe da AME


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE