Um caminho sinuoso em busca de unidade

| 05/07/2005 - 00:00


"Cansado de dar voltas de carro para chegar a seu destino em São Paulo? Enjoado de costurar no trânsito pelas vias expressas de qualquer das grandes cidades brasileiras? Espere até provar as ruas de Jerusalém. Espere até ter de encontrar seu caminho por um labirinto de lojas, museus, casas, sinagogas, mesquitas e igrejas dentre os vários componentes da parte histórica da cidade. As alamedas são estreitas e, aos olhos do visitante, não levam a lugar algum. Construções erigem-se como que sobre você. Um tumulto de sons e cheiros toma conta dos  sentidos. Sangue escorrendo do açougue corre pela rua e força que se preste atenção por onde se anda. Um lojista vem até a rua para convencer você a comprar a mercadoria dele. Sacerdotes fazem uma procissão que tira você da sua rota. Soldados israelenses param as pessoas nas barreiras e as fazem ir por outro caminho.

Navegar pelas diferentes árvores genealógicas que construíram o cristianismo no Oriente Médio pode ser uma experiência igualmente extenuante. Muitos desses cristãos alegam raízes em dezenas de gerações antepassadas e quem não tem um mapa mentalizado da coisa toda, pode contar que vai se perder pelo caminho. Já é difícil diferenciar os ortodoxos orientais dos católicos e estes dois grupos em relação aos protestantes - os que chegaram mais recentemente - mesmo sabendo-se que entre esses as diferenças são mais evidentes. Mas e quando se pensa nos ortodoxos armênios em comparação à Igreja Católica Armênia da Cilícia? Os coptas ortodoxos são católicos ou são uma coisa totalmente diferente? Quem são os ortodoxos gregos e como é que a Igreja Assíria do Oriente entrou na história?"

O comentário acima*  demonstra que não é só hoje que é difícil para a fé em Cristo permanecer viva em Israel e Palestina. E explica a dificuldade que esses grupos têm em manterem-se unidos. Ainda assim, juntos, esses grupos formam o remanescente de Cristo no local.

Se algo de bom vier a acontecer em Israel e Palestina, se alguma transformação para a paz puder ser impulsionada, esses representantes de Cristo têm de ser candidatos naturais a protagonizarem essas ações. Se uma força leve puder ser formada em Israel e Palestina, esses irmãos - por muitas que sejam suas diferenças - terão de ser os que a exercerão... E juntos!

Que Deus use todos os instrumentos disponíveis para construir Seu exército naquele local, não com armas. Um exército que tenha o calor, a leveza e a luz que só o amor é capaz de criar.

Douglas Monaco
Secretário Geral de Portas Abertas Brasil

* Escrito por Steven Gertz em www.amazon.com sobre o livro "Who are the Christians in the Middle East?"


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE