Tendências para cristãos no Oriente Médio

| 20/09/2005 - 00:00


Fontes do local alegam que no Oriente Médio, há em curso dois processos importantes em relação à presença cristã, um negativo e o outro positivo.

Primeiro, o negativo. Os últimos 15 anos assistiram a uma forte emigração de cristãos. Alguns números colhidos informalmente: 125.000 cristãos armênios deixaram o Irã; 500.000 cristãos locais deixaram o Iraque; 10.000 cristãos árabes saíram de Israel e dos territórios palestinos.

Essa tendência constitui a reação de nossos irmãos a uma vida de opressão e discriminação pois se mostram cansados de ser cidadãos de segunda classe, sem contar as inúmeras ameaças e a contínua insegurança. Esse é um processo negativo que enfraquece a presença cristã no país.

Ao mesmo tempo, há um processo altamente positivo: o grande número de convertidos de origem muçulmana. Números não oficiais afirmam que em alguns países as conversões vão às dezenas como Tunísia e Líbia; em outros, às centenas, como Yemen e Curdistão; em outros, aos milhares, como a Argélia; e, finalmente, em outros, às centenas de milhares, como Irã e Sudão.

Essa tendência tem também seus problemas, pois aumenta a necessidade de acolhimento aos convertidos, algo arriscado, e aumenta a necessidade de Bíblias nos idiomas locais. Nesse sentido, o caso mais curioso é o do Irã onde, ao mesmo tempo, têm-se a forte emigração e o grande número de conversões. O Sudão também é peculiar pois trata-se de um país em guerra civil há mais de vinte anos.

Nossa oração é que todos que possam se mobilizem, para preservar e multiplicar o amor cristão em algumas das mais necessitadas partes de toda a Terra.

Douglas Monaco
Secretário Geral - Portas Abertas Brasil


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE