Sem Muro e sem Cortina

Há 20 anos a Guerra Fria chegava ao fim. A queda do Muro de Berlim e o fim da Cortina de Ferro teriam representado o fim da opressão imposta à fé cristã nos países que antes pertenciam à União Soviética?

O ano de 1989 marcou o fim da Guerra Fria¹  e dos grandes regimes socialistas. A Polônia, Checoslováquia, Hungria, Romênia, Bulgária e República Democrática Alemã abandonaram o regime.  Uma sucessão de acontecimentos se desenrolou desde a vitória eleitoral do sindicato Solidariedade na Polônia, três meses antes, até a queda do Muro de Berlim² , no dia 9 de novembro. Algumas análises atribuem o fato à combinação entre a eleição de Gorbachev, em 1985, o desastre de Chernobyl, em 1986, o impacto da Igreja no Leste Europeu e a influência dos meios de comunicação.

No entanto, a reação contrária ao regime não repercutiu na China. No início, os jovens chineses foram contagiados pela onda de mudanças, mas, as pressões do governo foram brutais. Centenas de pessoas morreram na Praça da Paz Celestial, nos dias 3 e 4 de junho de 1989. Ainda hoje, países como a China, Cuba, Coréia do Norte, Laos e Vietnã vivem sob regimes comunistas.  Com a dissolução da União Soviética, as repúblicas da Ásia Central, de maioria e raízes muçulmanas, enfrentam crises políticas, com alto índice de desemprego, regimes autoritários e iminentes desordens sociais.

A força da Igreja

Viver num mundo não mais dividido em dois poderes políticos trouxe, principalmente ao ocidente, uma sensação de segurança. Mas isso assegurou o fim da opressão aos cristãos nos países onde o regime socialista se extinguiu? Absolutamente, não!

Na breve história do nosso tempo constatamos que só Deus é a nossa segurança e não há regime que detenha sua ação, ainda que tenhamos que enfrentar aflições. Em 1955, quando o Irmão André fez sua primeira viagem à Polônia e se deparou com as privações impostas aos crentes que viviam sob o comunismo, ele não se conformou. E milhares de cristãos em todo o mundo, ao conhecerem essa realidade, foram desafiados a orar e a ajudar a fortalecer aqueles irmãos.

Hoje, o muro de Berlim e a Cortina de Ferro não existem mais, porém, muitos irmãos continuam a viver em contextos não favoráveis à fé cristã. Eles precisam de nossas orações. Ela é a nossa arma e nos fortalece na certeza de que não há portas ou muros que prevaleçam contra a força concedida à Igreja de Jesus Cristo.

Assista ao vídeo que conta a atuação da Portas Abertas Internacional durante o período comunista europeu e soviético.

¹ A Guerra Fria teve seu início em 1945, com o fim da II Guerra Mundial.
² O muro de Berlim foi construído em 1961, com o objetivo de separar a Alemanha comunista da Alemanha ocidental.