Entenda o Afeganistão

Localizado entre a Ásia Central e o Oriente Médio, o Afeganistão foi ao longo de sua história uma rota percorrida por muitos conquistadores como Alexandre, O Grande, e seu conjunto cultural e linguístico é formado pela língua, cultura e religião dos povos vizinhos (Paquistão, Índia, Irã, China, Uzbequistão, Turcomenistão, Tadjiquistão), sendo dessa forma influenciado pelas culturas grega, persa e hindu. No país existem alguns grupos étnicos com práticas linguísticas e culturais diferentes, mas o principal deles é o pachtun.

Formado atualmente por cerca de 40 milhões de pessoas esse grupo etnoliguistico teve importante participação nas principais guerras enfrentadas pelos afegãos, tanto pela independencia do império britanico quanto contra os invasores soviéticos na década do 1970-80. Dessa etnia surgiu um dos mais importantes grupos radicais islamicos da atualidade, o Talibã que significa “aqueles que estudam o livro”, que após chegar ao poder em 1996 procurou se manter no poder através da imposição da Sharia (lei islamica) e de um nacionalismo exacerbado. O emprego da Sharia no país afetou as relações de muçulmanos com individuos de outras religões existentes no país como cristãos e hindus e impos restrições à liberdade religiosa. O Talibã foi destituido do poder politico após a invasão militar norte-americana em 2001 e desde então atua como principal grupo de resistencia.

Além de estar ocupado por um exercito estrangeiro e de ter que lidar com ataques de grupos extremistas como o Talibã, o Afeganistão lida atualmente com um problema de politica e saúde publicas, o das drogas. O país é o maior produtor de Papoula do mundo (80% do ópio mundial é produzido no Afeganistão), planta da qual é extraidio o ópio, substancia que serve tanto como entorpecente quanto como droga medicinal. Em alguns vilarejos em que não existem hospitais e atendimento médico, os cidadão utilizam o ópio para aliviar a dor e acabam se tornando dependentes quimicos. O cultivo da papoula é ilegal no Afeganistão, mas é muito mais lucrativo que outra culturas, muitos pequenos agricultores sobrevivem do plantio e venda da papoula e tem se incomodado com as medidas que o governo tem tomado para erradica-la.

Após ser destituidos do poder o Talibã viu no ópio uma fonte de renda para fincanciar sua insurgência e para retomar o poder politico, o que é contraditório, pois querem um país essencialmente islamico, mas a religião islamica é contra o cultivo e uso de drogas. Para alguns lideres religiosos do país o Talibã não quer um Afeganistão islamico, mas apenas o poder. O país tem recebido de países do ocidentes fertilizantes e outras culturas como feijão e milho com o intuito de se desvensilhar paulatinamente da dependencia economica da papoula.

Não é atoa que hoje o Afeganistão figura na 3ª posição da lista de classificação de países por perseguição da Missão Portas Abertas, quanto mais o cerco ao terrorismo e ao trafico de drogas aumenta, mais dificil fica a situação da Igreja de Cristo no país, já que esta é vista por muitos grupos radicais como agente dos interesses ocidentais no país.

Marcelo Peixoto- Historiador