No Sudão, quem se declara cristão, é considerado criminoso