A escolha de um cristão no Laos

Governador oferece diversos benefícios para cristão e sua família caso decidisse abrir mão da fé cristã

| 12/03/2020 - 05:00

Seja em meio à perseguição ou à pressão das autoridades locais, cristãos no Laos se apegam à palavra de Deus e à fé em Jesus

Seja em meio à perseguição ou à pressão das autoridades locais, cristãos no Laos se apegam à palavra de Deus e à fé em Jesus


No final de janeiro, Borom*, um cristão no Laos, teve a chance de compartilhar com um dos colaboradores da Portas Abertas suas histórias, experiências e a opressão por parte de autoridades locais por causa da fé em Jesus. Ele se tornou cristão há mais de 3 anos. Mas com a conversão também veio a perseguição de autoridades locais, oficiais do governo e até mesmo do próprio governador do distrito. Eles o ameaçaram e pediram para chegarem a um acordo.

Em 2019, ele foi chamado pelo chefe da vila, polícia local e pelo ministro do Interior para um encontro no escritório da vila, depois na delegacia, e depois no escritório do governador. Desde então, ele já visitou esses escritórios cerca de 18 vezes. “Às vezes, eles ameaçavam que eu seria expulso da comunidade e que queimariam minha casa se continuasse seguindo a Jesus”, contou.

Certa vez, o governador pediu para que ele comprometesse a fé. “Ele me ofereceu muitas coisas boas e oportunidades para minha família, oportunidades que seriam vantajosas para nós. Ele disse que poderíamos ir ao hospital de graça. Falou que eu poderia ser o chefe da vila, o que raramente acontece com cristãos. Tudo isso apenas se eu parasse de seguir a Jesus.”

O governador disse ainda: “Se você deixar de seguir a Jesus e não acreditar mais nele, como governador desse distrito, eu garantirei bons trabalhos para seus filhos assim que acabarem o colégio ou a faculdade. Seus filhos se tornarão policiais, soldados, médicos ou professores. Qualquer emprego que quiserem, eu posso ajudar a conseguir. Mas você precisa negar a Jesus”.

O governador deu a ele tempo para pensar, mas disse para tomar a decisão com cuidado. Independente do que escolhesse, precisaria pagar um preço alto. Ele escolheria o governador ou a Jesus? Ele queria que os filhos tivessem um bom emprego. Muitas vezes ele sentiu ter falhado com eles por não poder oferecer nada e é muito raro para qualquer um esse tipo de coisa. “Mas ele é o meu Deus. Eu decidi continuar seguindo a Jesus”, afirmou Borom.

Raramente é oferecida aos cristãos no Laos esse tipo de oportunidade, especialmente vindo do governo. E se é oferecida, se torna um dilema. Eles têm muitas coisas a considerar caso não aceitem. Primeiro o futuro da família, depois a segurança e a vida confortável que podem ter ao não serem oprimidos pelo governo. Mas muitos não querem se comprometer, porque pensam que a recompensa no céu é muito melhor do que a desta terra.

*Nome alterado por segurança.

 Pedidos de oração

  • Louve ao Senhor por cristãos como Borom. Agradeça a Deus por sua fé corajosa e foco em Deus em meio ao dilema enfrentado. Ore para que ele esteja firme na fé e coloque os olhos apenas em Jesus.
  • Apresente as autoridades locais, distritais e provincianas no Laos. Peça a Deus para que mude os corações e que eles conheçam a Cristo de uma maneira pessoal.
  • Clame para que as pessoas na vila de Borom vejam ele e a família como testemunhas de Cristo.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2023 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco