A lei antiterrorismo não é capaz de proteger os cristãos da Tunísia

| 30/08/2015 - 00:00


30_Tunisia_0110000111

De acordo com as informações da emissora BBC, em julho, o parlamento tunisiano aprovou uma nova lei antiterrorismo, que inclui a pena de morte para os praticantes de atos terroristas. As organizações de direitos humanos estão preocupadas que esta lei possa ser usada para silenciar a oposição política. Analistas, como Hayet, defende que o terrorismo deve ser resolvido através da reforma do sistema de ensino.

Dennis, analista da Portas Abertas, diz: ""Não existe uma receita para combater o terrorismo, mas é inegável que a violência islamita é uma fonte crescente de preocupação na Tunísia. A Primavera Árabe trouxe uma grande mudança no regime do país"".

Um partido islâmico foi eleito para um cargo político, mas perdeu o controle majoritário depois de seu primeiro mandato. ""Isso não significa que a ameaça do islamismo foi evitada. Na Tunísia, os islamitas continuam altamente visíveis. Além disso, é importante ter em mente que a evolução política desse país não é positiva como a mídia faz parecer, incluindo a situação das minorias, como é o caso dos cristãos"", conclui Dennis.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE