Anunciada composição da força-tarefa que investigará caso do pastor Koh

Composição não agradou às famílias dos sequestrados e caso do pastor Koh não será prioritário

| 27/06/2019 - 16:35

Susanna Koh e Norhayati, esposas de Raymond Koh e Amri Che Mat, respectivamente, não aprovam nomes da força-tarefa especial

Susanna Koh e Norhayati, esposas de Raymond Koh e Amri Che Mat, respectivamente, não aprovam nomes da força-tarefa especial


O Ministério do Interior da Malásia anunciou os nomes dos membros da força-tarefa especial estabelecida para investigar as conclusões da Comissão de Direitos Humanos (Suhakam), segundo as quais o braço especial da polícia (Bukit Aman) estava envolvido no desaparecimento forçado do pastor Raymond Koh e do ativista Amri Che Mat.

O Ministério também anunciou que investigaria o caso de Amri Che Mat primeiro e retardaria o caso do pastor Koh, devido a um caso pendente contra Lam Chang Nam, acusado de extorquir o filho do pastor Koh. No entanto, advogados da família Koh apontam que já foi esclarecido pelo antigo Inspetor Geral de Polícia que Lam Chang Nam não tem nenhum envolvimento no sequestro do pastor Koh.

Segundo os advogados, os casos não estão relacionados e deveriam ser analisados paralelamente. A família Koh aponta que já foi permitido que a polícia, um dos alvos da investigação, usasse o caso contra Lam Chang Nam para pausar temporariamente o inquérito da Suhakam no começo deste ano e que não deveria obstruir o trabalho da justiça de novo.

A família Koh afirmou que “é importante que os casos de Amri e de Raymond sejam investigados juntos, pois há muitas evidências factuais semelhantes e o mesmo modus operandi, veículos parecidos, assim como o mesmo policial do Bukit Aman (polícia especial) estava encarregado de ambas as investigações”.

Resultado da investigação deve sair em seis meses

A força-tarefa especial tem seis meses para investigar o caso e produzir um relatório a ser entregue ao Ministério do Interior e ao gabinete (quadro de oficiais do alto escalão do Executivo). Mas, se a investigação do caso de Lam Chang Nam levar mais de seis meses, uma extensão do prazo será considerada.

O ministro do Interior ressaltou que a força-tarefa especial não é uma Comissão Real de Inquérito, o que permite à investigação permanecer confidencial até a publicação do relatório, que será anunciado por interesse público. Ele disse: “Não queremos nenhuma pressuposição de que essa força-tarefa seja a polícia investigando a polícia, é por isso que temos um juiz da Alta Corte liderando-a”.

Entretanto, as famílias de Amri Che Mat e do pastor Koh apresentaram suas objeções à composição da força-tarefa especial. Ambas as famílias estão felizes com o fato de o governo dar passos para formar essa força-tarefa especial, mas expressaram profunda preocupação com a composição da mesma, o que pode impactar a autonomia e imparcialidade necessárias para uma investigação digna de confiança.

Pedidos de oração

  • Ore pelas famílias dos sequestrados, que tiveram suas esperanças um pouco abaladas com o anúncio da composição da força-tarefa especial. Peça para que eles tenham força para enfrentar todo esse processo e renovem suas esperanças no Senhor.
  • Interceda para que os líderes do país busquem justiça e vejam seus próprios erros.
  • Clame para que o Senhor advogue a causa de seus filhos, manifestando sua justiça e perfeita vontade.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE