Aproveitamos nossa liberdade para orar por eles?

| 03/01/2017 - 00:00


 

03-siria-casal-orando-em-meio-aos-destrocos

A semana do dia 1 ao dia 7 de janeiro é a “Semana Universal de Oração”. O nosso dia a dia nem sempre favorece para que tenhamos momentos de comunhão com Deus, mas a Bíblia mostra que o povo de Deus desfrutava da presença do Senhor sempre que o buscava de todo coração e também dá provas de que o espírito alegre abre caminho para se aproximar de Deus.

“Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos alegres.” (Salmos 100.2)

“Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” (Mateus 5.12)

No entanto, a alegria não está separada das lutas que todo ser humano deve enfrentar. Independente da situação é bíblico continuar louvando a Deus, em todo o tempo. Toda honra e toda glória devem ser atribuídas a Ele.

“Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!” (Salmos 150.2)

“Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor.” (Hebreus 12.28)

Essas duas ideias bíblicas se misturam e acontecem ao mesmo tempo quando as praticamos. A adoração a Deus acontece ao mesmo tempo em que admiramos seus feitos em nossas vidas e ao nosso redor. O coração se alegra e canta. Isso acontece, em especial, com a Igreja Perseguida. Todos aqueles que enfrentam perseguição ao redor do mundo, especialmente os que vivem nos países que fazem parte da Lista Mundial da Perseguição.

Mas eles não podem adorar a Deus livremente, mesmo assim o fazem sem recear a morte, e o adoram até o fim. Dessa forma, testemunham o amor de Cristo publicamente. Eles são corajosos e ousados e sustentados pelo Espírito Santo. Quando as dificuldades chegam, eles se apegam à alegria de Jesus. Mesmo em meio às lágrimas e às dores, eles oram como Jesus orou no Monte das Oliveiras.

“Estando angustiado, ele orou ainda mais intensamente; e o seu suor era como gotas de sangue que caíam no chão.” (Lucas 22.44)

Sabe-se que Jesus enfrentou uma pressão inimaginável quando se preparou para assumir os pecados do mundo. Aqueles que encaram a perseguição compartilham de sua alegria, mas também de sua angústia. Lembre-se de orar pelos cristãos que enfrentam a perseguição. Eles precisam saber que não estão sozinhos. Nós somos um só corpo com eles.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE