Asia Bibi nega participação em biografia

Especialista acredita que a atitude seja consequência de estresse e ameaças de extremistas

| 10/09/2020 - 12:00

Asia Bibi passou nove anos presa acusada de blasfêmia contra o islã, no Paquistão

Asia Bibi passou nove anos presa acusada de blasfêmia contra o islã, no Paquistão


Em entrevista à Voice of America Urdu em 31 de agosto, Asia Bibi se dissociou da biografia dela, que será lançada no fim de setembro. A atitude da cristã causou espanto em vários ativistas de Direitos Humanos. A Portas Abertas noticiou o lançamento do livro, que está sendo escrito pela jornalista francesa Anne-Isabelle Tollet. “Eu não estava envolvida na elaboração [da obra]. Não sei quando ela escreveu, de quem é a história e quem a guiou para o livro. Não concordo absolutamente, porque não é minha autobiografia”, afirmou ao programa televisivo.

Em fevereiro, a cristã paquistanesa deu uma entrevista coletiva na França para divulgar a biografia “Enfim Livre” (tradução livre). Na ocasião, ela respondeu algumas perguntas sobre os anos no corredor da morte e agradeceu a todos que oraram por ela.

Os parceiros locais da Portas Abertas lamentaram as polêmicas que surgiram em nível internacional. “Estamos tristes com a confusão que foi criada na semana passada sobre os eventos em torno da conhecida história de Asia Bibi. Houve momentos em que sentimos a derrota, mas talvez nenhum foi como o sentimento de agora”, explicou um colaborador.

Ele acredita que a decisão da cristã foi uma resposta ao assédio que enfrentou desde que foi absolvida. “Ela também foi lançada em uma guerra entre organizações seculares e missionárias, o que teria sido extremamente estressante e desorientador para alguém de origem rural como ela”, justifica.

Tempo de parar

Segundo o cristão, Asia Bibi precisa de um tempo em anonimato para se recuperar e curar dos traumas causados pelos nove anos de prisão. “Isso exigirá tempo, esforço e um trabalho consistente. Ela ainda é um alvo para extremistas. Nossa esperança é que Asia receba tempo e apoio, e que os governos e as pessoas em posições de autoridade reconheçam que ela está sob ameaça e precisa mais do que nunca ser protegida, equipada e ajudada para ser integrada a uma vida privada e funcional", completa.

O colaborador ainda lembra que a saúde mental, espiritual e física da cristã é prioridade: “Contar a história dela é algo secundário em relação à segurança, saúde e testemunho cristão dela”. Asia Bibi passou nove anos no corredor da morte, acusada de blasfemar contra o islã. Em 2018, a denúncia contra ela foi rejeitada pela Suprema Corte do Paquistão, mas ela precisou permanecer mais sete meses sob proteção judicial. No ano seguinte, ela conseguiu reencontrar o marido e as filhas no Canadá e, desde então, vive no país.

Pedidos de oração

  • Interceda pela vida de Asia Bibi, para que ela encontre descanso e cura em Deus, e consiga se adaptar à vida no Canadá.
  • Ore pelos outros cristãos que estão presos injustamente no Golfo Pérsico. Que eles sejam fortalecidos e libertos em breve.
  • Clame pelas autoridades do Golfo Pérsico, para que tenham compromisso com a justiça e bem-estar da população, não apenas de um determinado povo.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE