Ataque a igreja deixa ao menos 20 mortos nas Filipinas

Duas bombas explodiram no complexo de igreja cristã durante culto neste domingo

| 27/01/2019 - 00:00

O exército foi enviado ao local após as explosões (Imagem: EPA)

O exército foi enviado ao local após as explosões (Imagem: EPA)


[Atualizado em 28/01/2019 às 11h30]

Uma igreja cristã foi bombardeada na ilha Jolo, Sulu, no sul das Filipinas, deixando 20 mortos e 81 feridos, de acordo com oficiais locais. Segundo a mídia local, uma bomba explodiu dentro da igreja durante o culto de domingo e a segunda do lado de fora, enquanto as forças do governo já estavam no local. Entre as vítimas estão civis, soldados e policiais. O ataque vem dias depois de uma área de maioria muçulmana na região ter votado por mais autonomia em um referendo. O acordo entre o governo e a Frente de Liberação Islâmica Moro tem por objetivo pôr fim às décadas de longa violência entre separatistas e o exército nacional. Ninguém assumiu a responsabilidade pelo ataque ainda.

Jolo é uma base para militantes, incluindo os do grupo Abu Sayyaf, ligado à Al-Qaeda, organização fundada por Osama bin Laden. Essa igreja já foi atingida por ataques no passado, segundo informa a BBC. Alguns dos feridos foram evacuados via área para a cidade de Zamboanga. O secretário de defesa Delfin Lorenzana conclamou a população a trabalhar com as autoridades para “não dar nenhuma vitória ao terrorismo”. Ele afirmou ainda: “Vamos usar a força total da lei para trazer justiça aos agressores por trás desse incidente.

No referendo da semana passada, os eleitores aprovaram a criação da região autônoma de Bangsamoro nas áreas de maioria muçulmana no sul da Filipinas. Mas os eleitores da província de Sulu rejeitaram o referendo. Até agora, cinco províncias e a cidade de Cotabato se uniram a Bangsamoro. Um segundo plebiscito será realizado em 26 de fevereiro, permitindo aos moradores de Lanao del Norte e outros cinco municípios a votar e decidir. As autoridades haviam expressado esperanças de que a eleição fosse uma solução política para pôr fim a décadas de conflitos entre os separatistas islâmicos e o exército do país predominantemente cristão.

De acordo com uma obreira cristão vinda de Jolo, os militares alertaram que o Estado Islâmico também já entrou na área e pode tirar proveito da situação. "As escolas cristãs estão sendo protegidas, pois são os alvos mais prováveis dos ataques", diz ela. Ore pelas vítimas do ataque e seus familiares e por todos os cristãos perseguidos de Mindanao, especialmente Jolo. Interceda também pelo segundo plebiscito, para que ocorra em segurança e que a paz do Senhor prevaleça em Mindanao.

Leia também
Adolescentes cristãos morrem em explosão nas Filipinas
Projeto da Lei Básica Bangsamoro pode ser finalizado
Cristãos de Mindanao são ameaçados pelo Estado Islâmico


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE