Ataque a igreja na França deixa pelo menos três mortos

Autoridades investigam o caso e acreditam que a motivação foi religiosa

| 29/10/2020 - 16:30

Além desse, foram registrados outros incidentes na cidade de Avignon e na Arábia Saudita, que não deixaram vítimas (foto: AP Photo/Daniel Cole)

Além desse, foram registrados outros incidentes na cidade de Avignon e na Arábia Saudita, que não deixaram vítimas (foto: AP Photo/Daniel Cole)


[Atualizado em 30/10/2020 às 10h05]

Nesta quinta-feira, por volta das 9h da manhã (5h da manhã em Brasília), um extremista portando uma faca invadiu a Basílica de Notre Dame, no centro de Nice, na região sudeste da França. O ataque deixou diversos feridos e três pessoas foram mortas. Uma das vítimas foi a brasileira Simone Barreto, que vivia há 25 anos no país. O agressor foi detido e, segundo autoridades locais, assumiu a autoria do atentado como um ato em defesa da fé islâmica. O procurador-geral francês, Jean-François Ricard, confirmou que o agressor é um cidadão da Tunísia, que entrou no país vindo da Itália. 

Promotores encarregados do combate ao terrorismo no país abriram uma investigação contra o agressor por “homicídio e tentativa de homicídio relacionado a ato terrorista” e “associação terrorista”. Eles acreditam que a motivação tenha sido religiosa. Além desse, foram registrados outros incidentes tendo como alvo franceses na cidade de Avignon e na Arábia Saudita, que não deixaram vítimas. Ainda não há registros de que esses ataques tenham relação com o ocorrido em Nice. 

“Estamos chocados com essa notícia e oramos pelas famílias das vítimas. Parece que esses ataques estão possivelmente relacionados com os desenhos animados de Charlie Hebdo, mas estamos aguardando os resultados das investigações”, afirma uma representante da Portas Abertas na França.

De acordo com a representante, o contexto internacional é tenso e houve estímulo para que a França fosse atacada: “Sabemos que, para os países muçulmanos, o Ocidente é considerado cristão. Isso poderia explicar a escolha de uma basílica para cometer este ataque, certamente em resposta às publicações de Charlie Hebdo”, explica a líder cristã.

Apesar de alguns ataques radicais terem acontecido em território francês nos últimos 10 anos, o país ainda não tem índices para ser classificado na Lista Mundial da Perseguição. Porém, a porta-voz afirma que é necessário estar alerta. “Como cristãos, podemos ser alvos e devemos estar prontos. Isso nos leva a refletir sobre nosso próprio compromisso com Deus. A Igreja Perseguida pode nos ajudar nisso, pois o testemunho dela nos encoraja a manter firme a nossa fé, não importam as circunstâncias”, completa a representante. 

Pedidos de oração

  • Ore pelos feridos e familiares das vítimas, para que Deus os visite dando esperança e que permaneçam firmes na fé.
  • Interceda pelos cristãos na França, para que o Senhor os proteja e traga paz aos corações.
  • Clame pelos extremistas, para que conheçam a palavra de Jesus e sejam transformados por ele.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE