Ataque a seminário bíblico faz ao menos dez mortos

A faculdade no Sudão do Sul foi construída em parceria com a Portas Abertas, mas hoje caminha com as próprias pernas

| 21/05/2018 - 00:00

Grupo de discussão em treinamento na Emmanuel Christian College, no Sudão

Grupo de discussão em treinamento na Emmanuel Christian College, no Sudão


Um ataque à Faculdade Cristã Emanuel (ECC, da sigla em inglês) em Goli, no Sudão do Sul, fez ao menos dez mortos, entre os quais cinco crianças, três guardas e pai e filho que eram refugiados vindos de Mundri. O ataque aconteceu segunda-feira (14). Os agressores também violentaram uma menina de 14 anos, filha de um funcionário. Escritório, salas de aula e casas foram vandalizadas e saqueadas. A diretoria da faculdade reportou o incidente às autoridades e está ajudando-os sobre os próximos passos.

A Faculdade Cristã Emanuel é uma instituição de treinamento que foi construída pela Portas Abertas em parceria com a Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão em 2001. O objetivo era promover treinamento em teologia, ministérios da igreja e desenvolvimento comunitário para pessoas de todas as denominações. Com o fim da guerra e com a divisão do país em 2011, a Portas Abertas está passando a posse da faculdade para a igreja local.

Em resposta ao ataque, o diretor regional da Portas Abertas na África Subsaariana, JP Pretorius, disse: “É, de fato, um triste dia quando pessoas inocentes são atacadas em uma instituição que é reconhecida internacionalmente por expandir o evangelho num contexto etnicamente diversificado. Convocamos a comunidade cristã internacional a orar pelos funcionários da ECC e pela igreja no Sudão do Sul”.

Leia também
Quarenta cristãos são acusados injustamente no Sudão
Líderes de igrejas são multados no Sudão


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE