Banner de Páscoa de igreja é rasgado por muçulmanos

Incidente acabou em confronto em que sete cristãos ficaram feridos e três muçulmanos foram presos

| 26/03/2018 - 00:00

Muçulmanos intolerantes perseguem a Igreja no Paquistão sempre e por qualquer motivo

Muçulmanos intolerantes perseguem a Igreja no Paquistão sempre e por qualquer motivo


Um banner de Páscoa foi rasgado por muçulmanos em uma igreja de uma colônia cristã em Burewala, na província de Punjab, no Paquistão. Um dos membros da igreja, Iftikhar Bhatti, que também faz parte do conselho de um partido político, contou à Portas Abertas como aconteceu o confronto. Ele disse que um banner de Natal estava pendurado na frente da igreja. Alguns membros da igreja foram trocá-lo por um banner de Páscoa. Mas foram impedidos por Muhammad Sharif, um oficial do governo e muçulmano que mora na região.

Bhatti relatou ainda que o pastor da igreja, Haleem Masih, veio ajudar a afixar o banner na parede, mas Sharif e seus filhos o rasgaram e pisotearam. Nisso, o culto acabou e os fiéis começaram a sair, envolvendo-se no incidente. “Por que Muhammad Sharif nos impediria de colocar um banner em um prédio cristão? Nós resistimos e a briga começou”, disse Bhatti. A polícia interveio e prendeu três suspeitos muçulmanos, enquanto sete cristãos que ficaram feridos foram levados ao hospital da região.

Há versões controversas do caso, mas pastor registrou boletim de ocorrência

O pastor da igreja levou o caso à delegacia e preencheu um documento semelhante a um boletim de ocorrência, no qual afirmava: “Hoje, por volta das 13h eu estava dirigindo o culto quando homens, incluindo um oficial do governo, portando armas de fogo, invadiram a igreja. Assim que entraram, dois deles tiraram à força versículos da Bíblia que estavam escritos em banners, enquanto gritavam palavras ofensivas. Eles rasgaram o banner e o jogaram no chão”. O boletim de ocorrência também registra que os cristãos que estavam dentro da igreja foram agredidos com varas e coronhadas.

O superintendente assistente de polícia Tahir Majeed disse à Portas Abertas que o problema surgiu entre dois grupos cristãos e então a família muçulmana também se envolveu. Ele acrescentou que a confusão é porque algumas pessoas leem o BO e só veem o incidente como um ataque de muçulmanos a um culto, enquanto outros veem o confronto entre dois grupos cristãos. O jornal paquistanês Daily Express também informou que dois grupos cristãos competiam por poder. Mas rapidamente se espalhou nas redes sociais que muçulmanos armados haviam atacado uma igreja, ferindo o pastor e quatro anciãos da igreja.

Leia também
Após prisão de cristão, líderes religiosos buscam acordo
Jovem cristão é acusado de blasfêmia
Menina é forçada a casar para se converter ao islã  


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco