Conflitos entre somalis e ormas pode atingir cristãos

Em tempo de seca, os dois povos disputam água para os animais, gerando caos e deixando os cristãos apreensivos

| 05/02/2018 - 00:00

Em situações de conflitos assim, a Igreja Perseguida pode se tornar um alvo fácil (Foto representativa por razões de segurança)

Em situações de conflitos assim, a Igreja Perseguida pode se tornar um alvo fácil (Foto representativa por razões de segurança)


Em Madogo, no nordeste do Quênia, teve início um conflito tribal entre pastores de cabra somalis e ormas. O choque parece ser motivado por uma disputa que já dura mais de duas semanas sobre poças de água para seus animais. A região norte do país tem enfrentado secas desde o final de 2016.

Como resultado, há falta de pastos e água. As poças se tornam a única fonte de água para os animais beberem, o que gera conflitos entre os povos somalis e ormas. Ambos os grupos são muçulmanos, mas os ormas têm uma maior aceitação dos cristãos, recebendo muitas igrejas em sua parte do país.

Um líder cristão de Garissa (região próxima) informou que, durante os choques, houve barricadas na cidade, interrompendo o trânsito. Ele pede orações porque diz que “é muito fácil que cristãos e cristãos ex-muçulmanos se tornem alvos em situações caóticas como essa, e depois dizem que foi por causa dos conflitos”.

Pedidos de oração:

  • Agradeça a Deus pela rápida ação das autoridades.
  • Ore para que cristãos e cristãos ex-muçulmanos não se tornem alvo no meio da confusão.
  • Clame para que a chuva venha, acabando com a seca e, consequentemente, com os conflitos por água entre esses dois povos.

Leia também:

Mais seis cristãos são mortos no nordeste do Quênia

Como vivem os cristãos no Quênia

Fim de semana tenso no Quênia


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE