Cristãos são considerados infiéis e recebem ameaças de morte

| 07/07/2016 - 00:00


7 Philippines_2012_0310007868

O sétimo país mais populoso da Ásia e o 12º do mundo não faz parte da Classificação da Perseguição Religiosa, mas já enfrenta momentos conflituosos em relação ao cristianismo no país. Já faz um tempo que a Portas Abertas trabalha com o Conselho Filipino de Igrejas Evangélicas, conhecido como PCEC (Philippine Council of Evangelical Churches) para promover a paz e a reconciliação no Sul do país, organizando e participando de diálogos entre os cristãos e os líderes das facções políticas muçulmanas. Gina*, uma colaborada da Portas Abertas, diz que pretende manter a mobilização entre as igrejas. “Estamos trabalhando para educar os cristãos em relação ao islã e, ao mesmo tempo, fazendo parcerias para que os muçulmanos expliquem aos seus seguidores sobre a consciência cristã. Quem sabe assim quebramos esse preconceito entre uns e outros aqui em Mindanao”, explicou ela.

Mas enquanto a população luta pela paz entre cristãos e muçulmanos, o Estado Islâmico (EI) investe em espalhar o terror aos filipinos. Agora eles decidiram convocar militantes para lá, com o anúncio: “Se você não pode ir para a Síria, venha para as Filipinas”. Nas últimas semanas, eles divulgaram um vídeo de conteúdo extremamente violento, de 20 minutos, que termina com a decapitação de três homens europeus desconhecidos. As imagens mostram o campo de treinamento do EI na ilha de Basilan, que fica na “Região Autônoma do Mindanao Muçulmano”. Durante as gravações, há várias instruções aos militantes. Um porta-voz, que falou em filipino e árabe, pediu aos jihadistas para não pensarem duas vezes, que devem agir com violência e borbardear várias cidades. “Matenham os infiéis onde quer que eles estejam. Não usem de misericórdia, atinja-os com seus punhais e coloquem fogo em suas casas. Sejam cautelosos e fortes para não cair nas táticas fraudulentas do novo presidente, Rodrigo Duterte. Que ele seja amaldiçoado por deus”, declarou o jihadista.

Outro porta-voz disse que os infiéis são “seguidores de satanás” e também os “adoradores da cruz”, que travaram uma luta contra o “deus” deles. Inimigos e apóstatas também foram palavras usadas. “Vamos seguir em frente nessa luta, vamos lançar medo e aterrorizar seus corações. Essa jihad é tão brilhante quanto o sol que brilha no céu. Essa é uma guerra entre muçulmanos e infiéis”, disseram eles. O governo filipino minimizou a questão dizendo: “As pessoas não devem se preocupar com isso. As autoridades estão trabalhando e esses homens serão identificados e caçados”, disse o representante militar do país. Para a colaboradora da Portas Abertas, as ameaças podem afetar muitos os cristãos filipinos: “Precisamos estar cientes das atividades do Estado Islâmico e, ao mesmo tempo, devemos ficar vigilantes e continuar nossos trabalhos de paz e reconciliação. É um momento também de oração e clamor”.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Pedidos de Oração
? Ore pelos cristãos malaios nesse momento de tensão que estão vivendo, intercedendo por eles, pedindo por uma fé renovada e firme, e também por revelações vindas do Espírito Santo para que saibam como agir.
? Ore pelo presidente filipino, Rodrigo Duterte; que ele seja estratégico em suas futuras ações contra o Estado Islâmico e que tome sábias decisões em favor da segurança do país.
? Interceda também pelos militares filipinos e por todos aqueles que vão enfrentar a violência dos jihadistas.
? Ore por Gina e todos os demais colaboradores da Portas Abertas que estão na linha e frente dessa batalha pela paz e pela reconciliação entre cristãos e muçulmanos.

Leia também
Perseguição religiosa chega ao sul das Filipinas


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE