Cristãos são liberados da prisão

| 17/02/2016 - 00:00


17-etiopia-0270001023

Em agosto do ano passado, um juiz que atua na cidade de Asella, que fica na capital Adis Abeba, abriu mão da acusação de cultos ilegais realizados por cristãos secretos e ordenou que a fiança que eles já tinham pago fosse reembolsada a eles. De acordo com informações locais, uma denúncia foi feita e a polícia invadiu o local, onde estavam cerca de 40 novos cristãos recém-batizados. Três líderes foram presos e quatro membros da igreja, que tentaram fugir assustados, por serem de origem muçulmana.

""Seus documentos foram confiscados e neles continham informações sobre a igreja, isto causa preocupação nos demais cristãos, já que agora a polícia vai investigar a todos. O líder apresentou todos os papéis que comprovam que a igreja é legalizada e que está de acordo com a lei"", comenta um dos analistas de perseguição. Mesmo assim, as autoridades mantiveram os cristãos presos durante dois dias e depois eles foram transferidos para uma prisão com outros 168 detentos, num espaço relativamente pequeno. A polícia tinha sete dias para investigar o caso e foram concedidos mais sete, através de uma audiência no tribunal.

A boa notícia é que o juiz negou o pedido de prorrogação e liberou os cristãos, declarando que não havia provas suficientes contra eles. Agora os fiéis oram constantemente pelas autoridades e agradecem ao Senhor por esse livramento. A Etiópia está na 18ª colocação na Classificação da Perseguição Religiosa 2016. O país possui muitas tribos e elas não são necessariamente favoráveis ao cristianismo. Em alguns lugares, as regiões estão interligadas com o islã, mesmo assim dois terços da população são de cristãos. Agradeça a Deus por que, apesar da perseguição religiosa, a igreja de Cristo continua crescendo cada vez mais.

Leia também
Dois terços da população etíope são de cristãos
Como vivem os cristãos na Etiópia?
Cristãos etíopes enfrentam fome e perseguição ao mesmo tempo


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE