Cristãos são obrigados a assinar uma petição

| 21/06/2016 - 00:00




Notícias recentes afirmam que alguns cristãos iraquianos que fugiram para Dohuk, nome de uma cidade que em curdo significa “pequena aldeia”, foram obrigados a assinar um documento apoiando que o Curdistão iraquiano se torne um Estado curdo independente. Também conhecido como Grande Curdistão, a região geocultural tem a maior parte de sua população ocupada pelos curdos e suas terras estão divididas entre a Turquia, Irã, Iraque, Síria, Armênia e Geórgia.

Imad Youkhana, um membro cristão do Parlamento Iraquiano, já pediu uma investigação urgente para descobrir quem organizou essa petição, que ameaça enfraquecer ainda mais os acordos de paz existentes entre as diferentes composições da nação iraquiana. Os refugiados cristãos estão vulneráveis e os líderes muçulmanos de grupos extremistas estão se aproveitando para usá-los em seus objetivos políticos, principalmente o Estado Islâmico que tem ocupado várias regiões do Iraque. Ore por essa nação.

Os curdos fazem parte de um grupo étnico que reivindica sua própria nação e, atualmente, são cerca de 26 milhões de pessoas, em sua maioria muçulmanos sunitas. Eles são o maior povo que não possui um Estado no mundo. A petição assinada de maneira forçada pelos cristãos, reivindica a agilidade da liberação de Mossul pelas forças jihadistas, para que seja a capital dentro de uma região autônoma no Curdistão. Vários representantes políticos condenam esse pedido e já denunciaram o desenvolvimento do plano.

Leia também
Há dois anos os cristãos foram expulsos de Mossul
Novo ataque mata 60 pessoas no Iraque


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE