Dois milhões de civis fogem da violência no Sudão do Sul

| 26/09/2014 - 00:00


26_Sudao_0270001498.jpg

Apesar de ter diminuído o número de violações de direitos humanos cometidas pelas partes envolvidas no conflito armado do Sudão do Sul, a agência da ONU para os direitos humanos (ACNUDH) informou, nesta quarta-feira (24), que o número de civis obrigados a fugir da violência já se aproxima dos 2 milhões e que não há probabilidade de que essas pessoas regressem às suas casas.

“Os civis continuam suportando o impacto do conflito armado em curso, bem como o fracasso de seus líderes para parar a luta”, disse a vice-alta comissária da ONU para os direitos humanos, Flavia Pansieri, em um painel de discussão do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre o Sudão do Sul, em Genebra.

Pansieri confirmou que desde dezembro de 2013, cerca de 1,5 milhão de pessoas ficaram deslocadas internamente no interior do país, e 400 mil pessoas se refugiaram nos países vizinhos – Quênia, Uganda, Etiópia e Sudão. Além disso, ela alertou que o país atravessa extrema insegurança, além de uma possível escassez de alimentos.

Ao longo do conflito, a Portas Abertas tem divulgado notícias sobre a forte perseguição aos cristãos no Sudão do Sul. A violência já resultou em centenas de vítimas. Em fevereiro desse ano, diversas igrejas foram atacadas e saqueadas no país; e pastores foram presos.

Além disso, ondas de violência obrigam a Portas Abertas a interromper o seu trabalho em algumas regiões do Sudão do Sul. Ore pela segurança da equipe no campo, pelas pessoas envolvidas no trabalho e pela paz no país.

Apesar de todas as dificuldades, vale a pena servir nossos irmãos sul-sudaneses. Participe!


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE