Evangelizar pode ser perigoso

| 04/11/2016 - 00:00


04-colombia-pes-de-indigena

Está cada vez mais evidente que a perseguição religiosa está se espalhando por alguns países da América Latina e suas imediações. Na Colômbia, por exemplo, país que ocupa a 46ª posição na atual Classificação da Perseguição Religiosa, os cristãos se sentem inseguros e ameaçados o tempo todo. Seus filhos são rodeados por guerrilheiros e os cultos nas igrejas chegam a ser invadidos por eles. Igrejas já foram destruídas e muitos fiéis foram atacados violentamente por se recusarem a abandonar suas atividades religiosas em determinadas regiões.

No México (40º), além da crise humanitária causada pelo número excessivo de migrantes, o cenário para a liberdade religiosa não é nada animador. Em fortalezas indígenas, qualquer pessoa que se declare cristã representa uma séria ameaça para o povo e enfrenta todo tipo de violência e hostilidade. Em Cuba, país que não faz parte da atual Classificação mas que já enfrenta a perseguição na prática, os cristãos aprenderam a viver às margens da lei. “Tivemos que aprender a fazer o possível sem violar os procedimentos legais”, disse um dos líderes da igreja cubana.

Manter a fé ativa nesses países e continuar evangelizando passou a ser uma atitude de risco. O evangelho alcança até mesmo os guerrilheiros, mas seus portadores sabem que podem perder a própria vida por isso.  Normalmente, quem vai levar uma palavra em lugares mais arriscados são os pastores e os líderes, daí a necessidade de estarem sempre preparados, recebendo os treinamentos bíblicos e as ferramentas necessárias para que continuem nessa luta de manter a igreja fortalecida nesses países. Ore por essas nações.

Leia também
América Latina também sofre com a perseguição religiosa
A igreja latino-americana dá um grito de fé


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE