Extremismo islâmico ganha força no Iêmen

| 23/01/2015 - 00:00


23_Iemen_2005_0260004282.jpg
Segundo informações publicadas pelo jornal Estado de S.Paulo, o presidente do Iêmen, Abd-Rabbu Mansour Hadi, renunciou ao cargo nesta quinta-feira, horas depois de um acordo para dividir o poder com milícias xiitas que tentavam derrubá-lo.

No país, há certa liberdade religiosa para os estrangeiros, mas o evangelismo é proibido e os iemenitas que deixam o islã podem enfrentar a pena de morte – isso faz o Iêmen um dos países menos evangelizados do mundo.

A violência anticristã é promovida, principalmente, pela família e autoridades do país. Atividades missionárias realizadas por expatriados já resultaram em uma série de detenções e deportações. Além disso, acredita-se que os cristãos estejam sob vigilância constante e a insegurança causada pelos movimentos islâmicos extremistas torna o país muito instável.

Diante das novas reviravoltas que têm acontecido no país, ore para que esses eventos não piorem, ainda mais, a situação dos cristãos.

Conheça mais sobre a perseguição aos cristãos no Iêmen aqui.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco