Falta de segurança da Nigéria preocupa autoridades

A crescente onda de sequestros coloca o país em estado de emergência

Em 21 de abril, homens armados invadiram a Universidade Greenfield, no estado de Kaduna, na Nigéria, matando uma pessoa e sequestrando outros estudantes. Esse incidente é o mais recente de uma série de sequestros de estudantes que são realizados principalmente por resgates. Das vítimas levadas, cinco foram executadas até agora.

Os grupos armados atacaram repetidamente escolas e universidades do Norte da Nigéria desde dezembro, sequestrando mais de 700 estudantes por resgate. O governo e as forças de segurança são incapazes de parar os ataques enquanto lutam para conter o agravamento da violência e da criminalidade em todo o país.

Enquanto isso, sequestradores de 39 estudantes de uma faculdade florestal em Kaduna, em 11 de março, disseram aos pais dos estudantes que matariam os homens e forçariam as mulheres a se casar. 

O parlamento da Nigéria convocou a presidência, as forças armadas e a polícia para enfrentar a crescente crise de segurança do país. As autoridades pressionaram o presidente Muhammadu Buhari a declarar estado de emergência no país.

“Os desafios de segurança na Nigéria continuam sendo de grande preocupação para nós e impactados de forma mais negativa pelas pressões negativas existentes no Sahel, na África Central e Ocidental, bem como na Região do Lago Chade”, disse uma autoridade do país.

 Pedidos de oração