O povo Lisu, uma das minorias oficiais da China

| 28/01/2004 - 00:00


Os Lisus são uma das minorias oficiais da China. O nome Lisu significa povo que desce. Eles são originários do leste do Tibete, onde tinham um reino no século 10 antes de migrarem para as atuais regiões na China e no Mianmar.

Antes de se tornarem cristãos, os Lisus eram descritos como selvagens absolutos. Eram dominados pela bebida e pelo jogo. A conversão dos Lisus é uma das mais interessantes histórias do trabalho missionário. Alguns missionários trabalharam de forma sacrificial entre os Lisus antes de 1949, inclusive James Fraser, A.B. Cooke, John e Isobel Kuhn e a família Morse.

Hoje, estima-se em 300.000 o número de cristãos Lisus na China. Outros 4% ainda têm de ouvir o Evangelho, enquanto 54% ouviram, mas não se converteram. A igreja Lisu atingiu muitos outros grupos na região, incluindo os Deqen tibetanos.

Fonte: Operação China, por Paul Hataway, Biblioteca Piquant & William Carey, 2000

Testemunhos sobre o ministério com minorias na China

Nós três (colaboradores de Portas Abertas) seguíamos nossos guias, três pastores Lisu, subindo a trilha para a comunidade à qual um deles, o pastor Sheng (nome fictício), pertencia. Estávamos em território Lisu no sudoeste da China. Diante de nós abria-se a visão das altas montanhas que separam a China do Mianmar. Podíamos ver o vapor saindo de uma fonte quente no alto de uma daquelas montanhas, mas aquele não era o momento para pensar num mergulho terapêutico nas águas ricas em enxofre.

O pastor Sheng estava nos levando para conhecer seus familiares. À medida que caminhávamos pela trilha, ficamos sabendo que a proximidade do povo Lisu com o Minamar lhes tem dado fácil acesso às drogas que escraviza seu povo há gerações. Cada família, mesmo cristã tem pelo menos um membro preso às drogas ou por ela destruído. Na família do pastor Sheng, seu pai e o irmão mais velho são vítimas deste flagelo.

O Evangelho chegou pela primeira vez em 1906, trazido pelos missionários ocidentais que levaram um ano e meio para atravessarem a isolada e difícil região montanhosa e alcançar os Lisus. O Evangelho foi recebido de coração aberto. Um segundo reavivamento ocorreu por volta de 1918 quando outro grupo de missionários ocidentais atravessaram as montanhas com o Evangelho.

Quando a Revolução Cultural começou em 1949, comenta-se que a maior parte do povo Lisu havia sido evangelizado. Nos dias da Revolução, a igreja foi forçada a viver na clandestinidade. Perdeu-se o fruto espiritual durante aqueles dias difíceis. Mas Deus novamente chamou os Lisus para Si mandando um terceiro grupo de missionários locais em 1987.

Hoje há muitos grupos de igrejas de cristãos Lisus. O que nos encorajou grandemente foi a fé simples deles ter remanescido em Cristo apesar do isolamento, mas a conseqüência do isolamento é a dificuldade de chegar alimento espiritual a eles.

Infelizmente, para os crentes que ainda estão presos às drogas, não existe um ministério de reabilitação aqui. O governo não quer gastar os recursos do Estado cuidando dos viciados pobres em drogas - aceita somente os mais ricos em seus centros. Além disso, o programa do governo não é eficiente, diz o pastor Cheng. Até agora, o que os cristãos têm feito é mandar os crentes viciados para além da fronteira aos ministérios de reabilitação baseados no Mianmar com programas eficientes que podem ajudar a libertá-los das fortalezas das drogas pelo poder do Espírito Santo.

Nossos irmãos estão ansiosos em começar um ministério de reabilitação de drogados, tanto para os cristãos como para os não-cristãos, mas eles não sabem como. Vimos agora esta desesperadora necessidade com nossos próprios olhos e vamos informar a situação deles a um conhecido ministério que consiga ajudá-los.

Uma família de ex-feiticeiros. Nossos três irmãos Lisus nos levaram à casa de uma família cujas figuras masculinas de autoridade foram feiticeiros durante gerações. A avó sumiu para o interior da casa e voltou com a neta adolescente. Ela não parecia ter mais de 15 anos. Ela começou a ter um estranho comportamento há algumas semanas e a avó queria que orássemos pela garota. Um do nosso grupo começou a fazer algumas perguntas à garota para ver se ela havia aceitado o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador. Ficou evidente que a alma da garota estava presa por espíritos malignos quando ela não conseguiu confessar que Jesus Cristo era seu Senhor.

Os pastores nos disseram que o pai dela, que foi o último feiticeiro, tornara-se cristão um ano antes. Não muito tempo depois, ele morreu. Todos os demais em sua família supostamente tornaram-se cristãos também, mas pudemos ver que a falta de ensino bíblico adequado impediu aquela família de desistir completamente de suas antigas maneiras e voltar-se sinceramente a Cristo.

Colocamo-nos ao redor dos membros da família e oramos por eles e pela garota que ainda estava nas garras de Satanás. Não podíamos ficar mais tempo ministrando a eles, mas quando saímos, demos algumas instruções simples da Bíblia aos nossos irmãos e de como lidar com um caso desses.

Partimos com o coração pesado. Vimos a desesperada necessidade de preparar os pastores para um ministério mais eficiente com as almas ainda presas pelo maligno. Vimos a desesperada necessidade de cada família cristã ter sua própria Bíblia.


População Lisu na China: 715.100 (em 2000)
Cristãos Lisus: 300.000
Localização: Sichuan, Tibete, Yunnan


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE