“Deus tinha um plano para mim”

| 27/06/2004 - 00:00


Simon* testemunhou o assassinato de seu pai e de seu irmão enquanto o norte e o sul do Sudão estavam envolvidos com a guerra, incentivada pelo Exército de Resistência do Senhor (ERS). Nessa época, Simon* ainda era um menino e freqüentava o primeiro grau. Entretanto, depois da morte de seus parentes, ele viveu uma vida de medo e recusou a confiar nas pessoas.

A guerra deixou Simon* totalmente sozinho e ele não tinha quem pudesse cuidar dele.

Simon* percebeu a importância da educação e batalhou para completar sua educação escolar com muito esforço. Inicialmente ele pagava sua própria mensalidade escolar, plantando e vendendo algodão. Simon* mal podia pagar suas despesas, mas, finalmente, ele ganhou uma bolsa de estudos do governo e, conseqüentemente, conseguiu continuar seus estudos no norte da Uganda.

Entretanto, logo que a paz imperou entre o norte e o sul do Sudão, o governo cortou sua bolsa de estudos. Ele foi deixado sem outra opção, além de continuar seus estudos em uma escola mulçumana, que era financiada pelos residentes locais do estado dominante de Yumbe.

Em alguns lugares dominados por muçulmanos, a legislação governamental é deliberadamente ignorada. Escolas muçulmanas são isentas e acessíveis a todos, contudo, esta é uma estratégia para recrutar pessoas pobres ao islamismo.

Após ter completado seus estudos, Simon* obteve uma educação terciária na Faculdade de Uganda para se tornar um técnico da área médica. Aqui, Simon* fez amizade com um colega, mas este novo amigo era um discípulo de Jesus. No início, os amigos eram resistentes em falar sobre religião e, posteriormente, Simon* ressentia-se de qualquer tentativa feita pelo amigo de falar sobre a fé cristã.

Em um dia específico, seu amigo tocou no assunto sobre fé em Cristo. Simon* tentou ignorá-lo, levantou-se e foi para o seu quarto.

Contudo, naquela noite, Simon* não conseguiu dormir. Ele percebeu que tinha que mudar algo em sua vida, mas estava resistente às mudanças.

No dia seguinte, um outro amigo tentou convencê-lo da salvação que se encontra no sangue de Cristo, mas ele recusou a escutar. Simon* convenceu-se que sua dependência do álcool o levou a se tornar um cristão. Ele não podia fugir das memórias assustadoras de sua infância que foi queimada com ódio e necessidade de vingança em relação às atrocidades cometidas contra ele. Sua única maneira de escapar de seus problemas era beber com seus amigos.

Em uma noite, as coisas foram longe demais e dois dos parceiros de bebida de Simon* faleceram em conseqüência do envenenamento por álcool. Ele percebeu que ele poderia ser o próximo a morrer se não mudasse sua forma de viver e, por toda a semana, ele lutou contra este pensamento.

Finalmente, o amigo cristão de Simon* o convidou para ir à igreja. Coincidentemente, o sermão foi sobre a dependência do álcool e, desta vez, Simon* estava aberto para escutar. O reverendo fechou o sermão com uma oração e Simon* começou a tremer, e, mais tarde, ele foi preenchido com uma paz inegável.

Após o culto, Simon* retornou para seu quarto e falou para seu amigo sobre sua experiência. Ele não entendeu o que havia acontecido com ele, mas seu amigo assegurou-lhe que ele foi lavado pelo sangue de Jesus. Naquele mesmo momento, Simon* percebeu que sua vida fora mudada e que ele havia sido liberto de sua dependência do álcool.

Simon* recebeu treinamento teológico e entregou sua vida ao ministério. Atualmente, ele é presidente da Faculdade de Treinamento Bíblico no norte da Uganda e reverendo da igreja Pentecostal no Sudão.

Nenhuma destas atividades sustenta o reverendo Simon*, mas ele é um homem de fé e depende de Deus para que suas necessidades diárias sejam supridas. A Faculdade de Treinamento Bíblico dá ênfase ao treinamento e equipamento dos alunos em ministrar à Igreja Perseguida no sul do Sudão e no norte da Uganda.

A igreja nesta área específica do norte da Uganda se encontra em condições muito precárias. O corpo de Cristo tem sofrido tanto espiritualmente como fisicamente e tem estado incapaz de amadurecer e testificar o amor de Cristo. Jovens radicais seguidores do islamismo, que têm fortes ligações com o Talibã, estão sendo importados para o norte de Uganda, a fim de reforçar a Xaria e adicionar mais pressão na pequena comunidade cristã. Conta-se que jovens cristãos estão se convertendo ao islamismo porque o grupo radical de muçulmanos utilizam sua riqueza como chamariz. Cristãos desesperados estão caindo nas armadilhas do islamismo através das oportunidades de negócios, casamentos e promessas de um futuro próspero.

Foi solicitado que os missionários estrangeiros que vivem nesta região específica abandonassem esta área após o brutal assassinato de dois missionários americanos.

Portas Abertas tem empatia pela igreja sofredora, assim, ela ajudou o irmão Simon* a montar uma biblioteca com material de leitura teológica para a Faculdade de Treinamento Bíblico. Contudo, nosso envolvimento não termina neste momento. Portas Abertas está comprometida em estender sua mão ao subsidiar os estudos de alunos zelosos, e nós estamos analisando oportunidades para envolvimentos futuros.

Muitos dos alunos que freqüentam esta Faculdade de Treinamento Bíblico, pastoreados por Simon*, têm experimentado perseguição em primeira mão, mas seu entusiasmo em se armar com o Evangelho caracteriza o suporte desta instituição.

Os alunos estão totalmente conscientes das conseqüências do ministério no norte da Uganda. Pastores e evangelistas sobrevivem sem renda e a oposição dos fundamentalistas muçulmanos é um evento corriqueiro.

Swagip é um dos muitos alunos que não hesita em espalhar o Evangelho em áreas dominadas por muçulmanos no norte da Uganda. Ele aceitou Cristo como seu Senhor e Salvador no final do ano passado. Ex-muçulmano, Swagip afirmou que o islamismo nunca tocou seu coração e que ele estava curioso em conhecer o cristianismo. Desta forma, ele se tornou um membro ativo de uma congregação local.

Uma vez que a família e amigos muçulmanos de Swagip souberam de sua conversão, eles o pressionaram para retornar para o islamismo, mas ele recusou e foi atacado e severamente ferido. Quando Swagip recobrou sua consciência, encontrou sua casa vazia. Os fundamentalistas saquearam sua casa e levaram sua esposa e filhos.

Ao vinte três anos, Swagip está comprometido em completar seu treinamento teológico na Faculdade de Treinamento Bíblico e está esperando ansiosamente para divulgar o Evangelho, apesar da extrema oposição nesta área hostil do norte de Uganda.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE