Irmã Débora: Deus tem ouvido as suas orações!

| 08/05/2007 - 00:00


A irmã Debora é líder da igreja e uma antiga distribuidora de Bíblias da Portas Abertas na província de Henan. Há 11 anos, apesar da perseguição forte na China, Deus disse para ela se mudar para o sul - na província central de Yunnan e estabelecer ali um centro de operações da missão.

Hoje Kunming, capital de Yunnan, está florescendo e se tornando um centro internacional de logística, uma área perfeita para um campo de operações missionário. A Igreja chinesa está mais equilibrada do que nunca para se tornar uma igreja missionária e percorrer todo o mundo.
 
Débora compartilha sua missão, esperanças, sonhos e fala do papel da Portas Abertas, bem como a transição da Igreja chinesa do papel de receptora de ajuda e de missões estrangeiras para tornar-se um dos canais que enviam ajuda.

"A igreja na China está se levantando! A igreja doméstica tem 80 milhões de crentes. O avivamento na China não pode ser separado do ministério de distribuição de Bíblias da Portas Abertas. Vocês são os maiores provedores de Bíblias e de literatura que têm alcançado a igreja não registrada chinesa desde a década de 70. Por favor, aceitem nossa gratidão, nosso apoio e nossas orações.

Estamos agora alcançando e nos tornando missionários. Há quatro anos abrimos duas escolas de treinamento missionário aqui e já formamos três turmas. Nossa quinta turma terá início no mês de junho.
 
Temos aulas de línguas estrangeiras, inglês e árabe, e estamos nos preparando para alcançar o Oriente Médio.

Temos seis missionários já preparados para deixar o país, cinco que estão se preparando para sair logo e outros 11 que esperamos enviar para o mundo muçulmano ou Europa. Assim como outras organizações, fazemos prestação de contas e avaliação de estrutura.

O desafio missionário

Nós apoiamos nossos missionários com orações e um pouco de dinheiro. Trabalhamos para tornar a Igreja chinesa menos dependente da ajuda externa. É difícil, mas os cristãos chineses precisam ter mais responsabilidade.

Devemos olhar para além de nossas igrejas locais para transformar a China e o resto do mundo porque também somos representantes do Reino de Deus. Nossas igrejas locais precisam expandir sua forma de pensar e invocar o território espiritual do Oriente Médio.

Nós enfatizamos que os chineses da região central precisam manter as missões financeiramente. Empresários cristãos daqui nos dão algum suporte.  As igrejas que têm enviado estudantes para o treinamento também nos provêem com alguns recursos e treinam professores. Tudo para nos ajudar a formar a nossa primeira geração de missionários.

O governo e a Igreja

A economia da China vai bem e o governo começa a estabelecer boas relações com os cristãos. Mas o governo central é contraditório. A população é numerosa e está espalhada pelo país, por isso é difícil para o governo controlá-la. Seu temor de perder o controle é compreensível, mas eles tentam controlar muitas coisas.

Como cristãos, somos focados em Deus, mas há uma relação próxima entre o governo e as missões. Ações políticas, econômicas e missionárias não podem ser separadas. Só quando a política fica estável, a igreja vivencia a possibilidade de os cristãos fazerem missões e só quando a economia vai bem é que podemos apoiá-los. Eu peço aos irmãos e irmãs que orem por isso.
 
Ore para um avivamento ao redor da China. Em novembro passado, fui convidada a falar em uma reunião de oração em Wenzhou. Durante o encontro, vi que a presença do Espírito era grande, o seu mover forte e eles tiveram uma experiência muito íntima com Deus. Com igrejas como esta, a Igreja chinesa estaria pronta em poucos anos.
 
Em casa e no exterior

Não devemos apenas nos convocar para orar. A igreja deve se levantar para compartilhar o evangelho, a justiça social e as bênçãos financeiras. Nossa cultura não aceitará nossa religião se formos íntegros, mas não ajudarmos a sociedade.

 Temos 15 jardins de infância abertos por cristãos. As crianças são especiais, elas cantam, dançam e oram. Outros jardins de infância não conseguem ter muitos estudantes, mas os que foram abertos pelos cristãos estão sempre cheios. Nós cristãos devemos abrir jardins de infância, escolas de ensino fundamental, hospitais, casas para idosos e algo mais para ajudar a sociedade. Precisamos crescer nesta área.

A Igreja da China está se levantando! O Senhor tem ouvido a sua oração!"


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE