Semse Aydin relata o desafio de retomar a vida

“A ausência de Necati é diária, é uma cruz para mim”, admite Semse Aydin, esposa de um dos cristãos martirizados em Malatya. "É como se depois de nove anos de matrimônio e duas crianças, Deus me dissesse: "eu o quero de volta’”.

Dez anos atrás, a família muçulmana rígida de Necati Aydin tinha se oposto de forma violenta à decisão dele de se tornar um cristão.

Eles o seqüestraram quando souberam que ele ia se casar e ameaçaram matar o casal caso ele não mudasse de idéia e voltasse ao islã.

“Eu tinha medo pela vida dele e tinha medo que ele renunciasse a Jesus", disse Semse. "Por isso eu falei a Deus que se Ele o levantasse, eu o daria, eu sacrificaria nosso matrimônio. Orei para que Deus mantivesse Necati para Ele, não para mim."

Necati Aydin ficou firme na fé em Cristo, e depois de escrever uma carta de adeus para a família muçulmana, se casou com Semse em 1998.

“Agora, Deus o levou de volta, ela disse. "Ele é que dá e leva. Assim como eu posso estar brava com Deus, que está cima de tudo?". Leia mais sobre a morte dele aqui. 

Faca no peito

O processo de voltar a Malatya no início de setembro para fazer as malas e mudar de casa foi como "uma faca em meu coração", disse ela ( leia mais).

"Foi tão doloroso quanto a morte dele, deixar para trás aquele capítulo da minha vida... Sem Necati, sinto como se eu não tivesse mais uma casa. Não consigo sentir que essa é agora minha casa, porque ele não está aqui."

Mesmo assim, ela teve tempo, durante a visita, para chamar os vizinhos muçulmanos dela e testemunhar mais uma vez a eles do amor e do perdão que ela tinha achado em Cristo.

Ela presenteou cada um deles com um exemplar do Novo Testamento e uma cópia da carta do marido explicando à família o porquê de ter deixado o islã e se tornado cristão.

Vencendo a dor por amor a Jesus

“Esta foi uma das coisas mais duras que fiz na vida”, admitiu. "Exigiu de mim muita energia, porque foi muito doloroso, mas Jesus não me deixaria perder esta última oportunidade", disse ela.

Ela também venceu a tensão para visitar os parentes de outra vítima turca, levando conforto e compartilhando a esperança da mensagem de Cristo com eles.

Há momentos encorajadores, lembra, ela, como encontros com crentes cristãos em Malatya que se aproximaram pela fé e pelo testemunho dela e do marido, que havia sido o pastor deles.

Apesar da dor, Semse Aydin deu declarações públicas à mídia turca dois dias depois da morte do marido, declarando que ela perdoava os cinco culpados, que estão presos, confessaram o crime e aguardam pelo julgamento (leia mais).

Última vingança

Na realidade, ela está orando ativamente para que pelo menos um deles se arrependa e venha para a fé de Cristo. "Esta é a última vingança, não é?", diz Semse Aydin.

”Não foi fácil dizer ‘eu perdôo os assassinos’", contou ela. "Para ser honesta, meu coração está quebrado e sinto a minha vida quebrada. Eu realmente amei Necati. Ele era o amor de minha vida, meu amigo mais íntimo. Mas há alguém que eu amo mais, que é Jesus. Só por causa disto, posso agüentar tudo isto."