Indonésia completa 75 anos de independência

Arquipélago já foi palco de muitos registros violentos e, mesmo sendo aberto à diversidade, cristãos são perseguidos

Indonésia, localizada no Sudeste Asiático, é formada por ilhas vulcânicas e abriga centenas de grupos étnicos que falam diversos idiomas. Ontem, a nação completou 75 anos de independência. O país é conhecido pelas belas praias, vulcões, dragões de Komodo e selvas, onde vivem elefantes, orangotangos e tigres. Todo esse cenário faz da Indonésia um país promissor para o turismo, atraindo milhares de visitantes por ano. 

No entanto, apesar da beleza, o país já foi palco de violência e corrupção. Antes de sua independência, a Indonésia foi colônia da Holanda por longos anos. Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1942, no entanto, o Japão invadiu e se apossou do arquipélago. Com o fim da Guerra, o então líder Sukarno declarou a independência da Indonésia com o apoio dos japoneses. Embora só tenha tido sua independência reconhecida em 1949, a República da Indonésia, oficialmente, nasceu antes, em 17 de agosto de 1945. 

Religiosamente, a Indonésia é diversificada. Entre os séculos 7 e 14, reinos budistas e hindus foram formados no país, e no século 9, na ilha de Java, foi construído o Borobudur, o maior monumento budista do mundo. Já no século 18 os árabes da Índia chegaram à região, trazendo consigo o islamismo, que passou a dominar as ilhas do arquipélago.

O século 20 testemunhou a influência de muitos novos grupos missionários protestantes no país, que fez com que o cristianismo crescesse entre os indonésios. Contudo, embora o governo tente manter firme a sua bandeira de tolerância, a Indonésia é a 49ª nação na Lista Mundial da Perseguição 2020. O principal tipo de perseguição contra cristãos na Indonésia é a opressão islâmica. 

A necessidade de novos líderes

Cristãos indonésios das Ilhas Mentawai participam de treinamento para líderes oferecido pela Portas Abertas

Em uma parte da Indonésia onde há poucos líderes de igreja em tempo integral, a Portas Abertas conduziu um programa de treinamento para líderes com objetivo de preparar a igreja. Muitos que entraram no programa não tinham a confiança para ocupar uma posição de liderança, mesmo com o treinamento, até que a pandemia do coronavírus os forçou a enfrentarem o desafio.

“Eles são a esperança de cerca de 220 famílias cristãs daqui. Deus está usando suas novas habilidades e conhecimento nesse tempo de incerteza”, disse Budi*, líder de uma fundação com foco em ajudar cristãos nas Ilhas Mentawai, na Indonésia. Os líderes a que se refere são os participantes do treinamento da Portas Abertas.

“Há cinco igrejas nessas ilhas, mas apenas uma tem um pastor em tempo integral. As outras são conduzidas por anciãos que não têm contexto teológico. Eles lideram a adoração do domingo e a comunhão, usando livros. Como resultado, os cristãos são alvo fácil para conversão ao islamismo já que não são bem enraizados na fé”, disse Budi.

Embora o treinamento tenha preparado os participantes, apenas alguns assumiram papéis nas igrejas, enquanto a maioria fugiu da responsabilidade por conta da falta de confiança. Porém, quando a COVID-19 atingiu o distrito, tudo ficou em quarentena. Então, todos os cultos tiveram que ser interrompidos para respeitar as regulamentações do governo quanto ao distanciamento social. Foi aí que as coisas começaram a mudar.

“Os participantes começaram a perceber a urgência em servir às famílias cristãs. Agora estão mais dispostos a se envolverem no ministério”, disse um parceiro da Portas Abertas. Os cristãos foram divididos em pequenos grupos de cerca de 10 famílias e os novos líderes receberam a responsabilidade de ministrar para cada um dos grupos em suas casas. Em gratidão à Portas Abertas, os moradores fizeram um barco especialmente para ajudar a equipe nas viagens pelas ilhas. “Obrigado pelo seminário. Quando a pandemia terminar, espero que a Portas Abertas continue os treinamentos aqui”, disse um dos líderes, expressando sua esperança.

*Nome alterado por segurança.

Em gratidão, cristãos locais construíram um barco para auxiliar os novos líderes a compartilharem o evangelho pelas ilhas

Pedidos de oração

Preparação de líderes para a igreja indonésia
No país com a maior população islâmica do mundo, a Indonésia, aqueles que abandonam o islã para seguir a Cristo estão dispostos a não se render diante da pressão social. É fato que eles têm buscado modos criativos de expressar o amor de Deus para alcançar mais muçulmanos com as boas-novas do evangelho. Para isso, precisam crescer na fé e estar preparados. Sua contribuição é fundamental para que a igreja formada por cristãos ex-muçulmanos tenha líderes maduros que levem a igreja adiante, apesar dos custos. Envolva-se! Nesta data especial, em que a Indonésia completa 75 anos de liberdade, interceda para que esta nação se aproxime cada vez mais de Cristo.