Islâmicos começam a agir após saída da oposição do governo

| 16/03/2016 - 00:00


16-malasia-0500100364

De acordo com informações do jornal Malay, o filho do Dr. M, como é conhecido o ex-primeiro-ministro da Malásia, Mukhriz Mahathir, foi demitido do cargo de ministro-chefe do estado de Kedah. Uma semana depois, a UCA News divulgou que o tribunal federal tomou uma decisão estranha sobre um caso de divórcio. ""O casal hindu tinha dois filhos. O pai se converteu ao islã, sequestrou as crianças e as converteu também, sem o consentimento da mãe. Logo após, veio o divórcio e o pai ganhou a custódia dos filhos. A mãe recorreu e agora o tribunal decidiu dividir a guarda, deixando o menino com o pai e a menina com a mãe"", comenta um dos analistas de perseguição.

Segundo ele, a expulsão do filho do ex-primeiro-ministro mostra como o governo perdeu o controle. Apesar de vários escândalos políticos, o Dr. M e seu filho representavam a oposição, agora, porém, Najib Razak é a principal figura do poder na política da Malásia. ""Ele é bom para os islâmicos, mas uma péssima presença para todas as minorias religiosas, em especial a cristã. O caso do pai islâmico mostra claramente como foi fácil ‘agir contra a lei’, como os próprios advogados protestaram. Não houve imparcialidade alguma, a justiça simplesmente favoreceu o islã e não havia ninguém para protestar. O filho do Dr. M vai fazer muita falta a partir de agora e os cristãos, provavelmente, vão se deparar com muitos julgamentos injustos"", observa o analista.

A Malásia, que está na 30ª posição na Classificação da Perseguição Religiosa deste ano, está vivendo um momento revolucionário. Enquanto o cristianismo cresce rapidamente, aumentando o número de convertidos no país, principalmente entre os jovens, a sharia tem se espalhado e se infiltrado na política malaia, ameaçando a liberdade de religião. Existem três tipos de cristianismo no país e todos são afetados pela perseguição: os membros das igrejas históricas, das igrejas protestantes não tradicionais e cristãos convertidos do islamismo. Os últimos enfrentam forte pressão de seus familiares, amigos e vizinhos. Dadas as crescentes restrições impostas pelo governo sobre as igrejas locais e os novos cristãos, a Portas Abertas ajuda em oração e pede que cristãos de todo o mundo orem pelos malaios.

Leia também
Tensões crescentes na Malásia podem afetar minoria cristã
Corrupção pode ser um atrativo para os partidos islâmicos


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE