Jovem cristão condenado a prisão perpétua no Paquistão

Um pedido de revogação será apresentado dentro de um mês, mas pode levar anos para ser ouvido

| 29/10/2018 - 00:00

Somente Deus pode revogar a sentença de Bashir. Ore por ele (foto representativa)

Somente Deus pode revogar a sentença de Bashir. Ore por ele (foto representativa)


Yaqoob Bashir Masih* tinha 20 anos quando foi acusado de blasfêmia, em junho de 2015. Desde então ele está preso no Paquistão, e agora foi sentenciado a prisão perpétua por queimar um livreto que continha versos do alcorão, o livro sagrado do islamismo. A família apelou duas vezes para libertá-lo sob fiança, mas o pedido foi negado.

Bashir, conhecido localmente como “Kala”, tem dificuldades de aprendizagem. Um vizinho dele, Mushtaq Masih*, contou o que testemunhou. Ele disse que era por volta das 7h da manhã quando um burburinho começou. Em seguida, viu uma multidão batendo em Bashir, enquanto seu irmão mais velho perguntava: “Onde está a cópia do alcorão que o líder religioso te deu?” Por fim, jogaram querosene nele e ameaçaram incendiá-lo se não contasse onde estava o livro. Então ele disse que havia queimado o livro e depois o enterrado.

O vizinho disse que Bashir havia pedido uma cópia do alcorão ao líder islâmico dizendo que suas irmãs queriam ler. Mas ao invés disso, ele o levou para casa e queimou. Foi relatado que alguns estudantes de escola corânica (onde se estuda o livro sagrado do islã) o viram queimar o alcorão e então informaram o líder islâmico. Em seguida a polícia foi informada da confissão de Bashir e o prendeu.

No Paquistão, blasfêmia contra o islã é um assunto muito delicado, sempre levando à violência da multidão. Por essa razão, até mesmo delegados temem represálias ao investigar casos de blasfêmia e juízes temem se posicionar a favor dos acusados. Após a condenação, um pedido para revogar a decisão será entregue dentro de um mês. No entanto, é muito provável que leve anos para que o mesmo seja ouvido e haja uma mudança em favor de Bashir. Ore para que seja feita justiça nessa situação, pela vida de Bashir e pela Igreja Perseguida do Paquistão.

*O nome Masih, que deriva de Messias, é usado pela comunidade cristã do Paquistão há anos para os homens cristãos e não indica laços familiares necessariamente.

Leia também
Detalhes da audiência de Asia Bibi
Apelo de Asia Bibi é ouvido pela justiça paquistanesa
Caso de Asia Bibi será novamente ouvido pela Suprema Corte


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE