Julgamento pela morte de ministro cristão no Paquistão está há quatro

| 21/01/2015 - 00:00


21_Egito_QMIAGENCY

Bhatti, que era cristão, foi morto a tiros em frente à sua casa, em Islamabad, em março de 2011, por exigir reforma da lei sobre blasfêmia, que permite a condenação à morte por insulto ao profeta islâmico Maomé, um tema extremamente sensível no Paquistão.

De acordo com a agência de notícias francesa AFP, ainda hoje ""o julgamento por assassinato tem, no entanto, sido prejudicado por ameaças de extremistas. A polícia espera que a condução do caso em um tribunal militar fechado acelere o processo e reduza a interferência dos radicais.""

""Enviamos um pedido oficial ao Ministério do Interior,"" um oficial da polícia disse à AFP sob condição de anonimato. O principal suspeito do crime é Omar Abdullah, que também é suspeito de ser um agente da Al Qaeda no país.

O nome de Bhatti é frequentemente citado no caso da cristã paquistanesa Asia Bibi, primeira mulher a ser condenada à morte no Paquistão, justamente sob as exigências da lei de blasfêmia no país (leia mais aqui).

Leia também
Leis de blasfêmia são principal mecanismo de perseguição no Paquistão


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco