Lembranças de um agosto conturbado na Índia

| 22/09/2014 - 00:00


22_India+2012+0320100044.jpg
Na tragédia, a Sra. Laxmi Bardhan, de 45 anos, perdeu o marido, Kumudha Bardhan, em um assassinato brutal durante os motins anticristãos em 25 de agosto de 2008, um dia após os tumultos começaram. O incidente, que foi um dos piores golpes a aldeias naquele ano, ocorreu em Mukundipur, que fica a pouco mais de dez quilômetros de Rayagada, no distrito de Gajapthi.

Mais de 200 radicais hindus invadiram Mukundipur armados com barras de ferro, facas e armas de fogo. Pouco depois de invadir a aldeia, eles começaram a separar e atacar os cristãos. Laxmi e seu marido estavam retornando dos campos e, portanto, não sabiam da situação que estava sua aldeia. Seu filho mais velho, Tikina Bardhan, já tinha sido baleado duas vezes nas pernas pelos radicais, e outros cristãos na aldeia estavam fugindo para a floresta próxima.

Quando Laxmi e Kumudha se aproximaram da aldeia, foram cercados por radicais hindus. Um deles bateu em Kumudha com uma vara de ferro e ele caiu no chão sangrando. Laxmi e sua filha tentaram protegê-lo, e por isso também ficaram gravemente feridas. Mesmo assim, de alguma forma, as duas conseguiram escapar do meio da multidão que estava sendo atacada e começaram a correr com outros cristãos para salvar sua vida.

Laxmi recorda os acontecimentos terríveis e conta: “Fiquei chocada quando vi meu marido cair no chão em uma poça de sangue. Eu estava apavorada, não achei que os meus filhos pequenos e eu iríamos sobreviver.” Mais tarde, os radicais arrastaram Kumudha para a vila e o queimaram na frente da igreja.

Leia também
Há seis anos, a violência anticristã transformava a Índia
Orissa 2008: alguns anos depois


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE