Tentativa de fechar acampamento de férias de batistas

| 25/07/2004 - 00:00


As autoridades locais escreveram à União Batista para fechar um acampamento de férias que fica perto da capital do país, Tashkent. Rakhmatullo Ilyasov, primeiro chefe deputado do distrito de Bostanlysk, escreveu que os veteranos da Segunda Guerra Mundial tinham protestado contra o fato de o acampamento ficar perto da vila de Kizil-Su, parcialmente localizada no ponto de um antigo cemitério e que, portanto, deveria ser recusado o registro pelo Estado.

Ilyasov confirmou ao Forum18 que o acampamento teve o pedido de registro recusado e ainda justificou a decisão por outro motivo. "O assunto do acampamento é muito complexo", declarou ele no dia 09 de julho. "Nós recebemos uma carta de agências jurídicas afirmando que havia pessoas com antecedentes suspeitos na administração do acampamento, e, portanto, passou a ser inapropriado o seu funcionamento no território uzbeque". Habitantes de Kizil-Su disseram ao Forum18 que as autoridades incentivaram protestos contra o acampamento.

Em sua carta datada do dia primeiro de julho à União Batista, da qual o Forum18 obteve uma cópia, Ilyasov notou que a União comprou o acampamento de férias em outubro de 2000 no mercado aberto através da empresa Chirchik-sut por cerca de USD 4.970,00.

"Entretanto, no dia 16 de maio de 2004 uma recorrência foi recebida pelo Hakimat do distrito de Bostanlyk, de onze veteranos da Grande Guerra Patriótica da vila de a Kizil-Su" dizia a carta. "A apelação ressalta que um cemitério de uma vila encontra-se situado no território de um acampamento de férias, comprado pela União Batista, e solicita que a instalação proposta não deva estar situada na área do cemitério. Portanto, de acordo com os artigos 21, 22 e 25 parágrafo No. 387, aprovado pelo Ministério da Justiça da República do Uzbequistão, e datado de 07 de janeiro de 1998 "em emitir registro junto ao estado por instalações e equipamentos".

Não reconhecido como tendo o direito de ter o acampamento, os batistas poderiam ter deixado o local a qualquer momento.

O gerente do acampamento, Dmitri Pitirimov, expressou seu desgosto pelo fato de a carta de Ilyasov ter se tornado pública. "Eu não queria que essa notícia chegasse até a mídia, pelo menos nesse momento", disse ele ao Forum18 no acampamento, no dia 10 de julho. "Espero que eu possa manter minhas boas relações saudáveis com as autoridades distritais. Tudo que eu posso afirmar a você é que o registro de nosso acampamento pela pesquisa de terreno do Estado de fato foi mantida".

O fato da apelação dos veteranos de guerra ter servido como um mero pretexto para o cancelamento do registro foi confirmado pelo Forum18 em Kizil-Su, nas redondezas do acampamento. "Nossa vila ficava situada junto ao que é hoje o acampamento dos batistas, mas na década de cinqüenta, as autoridades nos remanejou para um novo local, pois a vila estava numa região montanhosa de difícil acesso", disse ao Forum18 no dia 10 de julho o imã Tushinbai, em Kizil-Su. "Naturalmente, nossa vila continuou na mesma localidade".

Ele disse que foi construída uma estrada depois, localizada ao redor do cemitério, e operários tiveram que exumar dezenas de esqueletos. "Nossos habitantes com certeza ficaram insatisfeitos em ver essa estrada exatamente por onde passa, mas eu nunca ouvi falar de qualquer protesto contra o acampamento dos batistas, já que o terreno do acampamento fica a uma certa distancia do cemitério".

O Forum18 ficou sabendo que o limite do cemitério abandonado realmente faz parte do acampamento, já que é o mesmo caso com os acampamentos vizinhos das empresas Uzdaewoo e Tsvetmet, mas diferentemente dos batistas, os gerentes desses acampamentos não passaram por problemas com as autoridades.

Como o acampamento dos batistas fica há quilômetros de distância da vila de Kizil-Su, área populosa mais próxima, fica difícil imaginar que cristãos que estão vivendo completamente separados criassem desapontamentos entre os muçulmanos. "Não temos qualquer problemas com os batistas por aqui", Sobir Suleimenov, assistente do chefe do conselho da vila, disse ao Forum18 no dia 10 de julho em Kizil-Su. "Ao contrário, eles deram à nossa vila muita ajuda humanitária".

Suleimenov confirmou que os veteranos tinham escrito uma carta ao distrito de Bostanlyk sobre o cemitério abandonado, mas assegurou ao Forum18 que o pedido não foi de maneira alguma direcionado contra os batistas. "Os veteranos simplesmente pediram para que a estrada fosse ao lado do cemitério", declarou ele. "O acampamento de férias não nos incomoda. No último resort, os cristãos terão que se isolar somente alguns metros em que realmente constitui o limite do antigo cemitério da vila".

Vários habitantes da vila, que preferiram não serem identificados, disseram ao Forum18 que as autoridades estavam deliberadamente maquinando para que ficassem contra os batistas. "Fomos informados abertamente, escreva uma carta à administração do distrito pedindo o fechamento do acampamento".

Fica fácil de explicar o motivo das autoridades quererem fechar o acampamento. Os pais passam as férias lá com seus filhos e o governo é tradicionalmente contra o envolvimento de crianças em educação religiosa. Em fevereiro, a administração da justiça para a região de Khorezm, no noroeste do país, tirou o registro da igreja batista de Urgench como forma de punição por envolverem crianças em educação religiosa. A igreja dirigiu acampamentos infantis nos anos de 2002 e 2003.

Em agosto do ano de 2000, as autoridades deram ordem para que a igreja da Paz em Nukus, Karakalpakstan, registrar-se com base em suas atividades ilegais com crianças. "O motivo que eles deram para nós para remover o registro foi o fato de termos organizado um acampamento de verão infantil para famílias carentes", disse ao Forum18 o pastor Khym-Mun Kim. "Desde o ano de 2000, essa igreja já tentou se registrar por três ocasiões, mas as autoridades recusaram baseados em vários pretextos".

O antigo sistema soviético de acampamentos infantis dos Pioneiros tem sido desmantelado no país e, atualmente, não existe qualquer acampamento desta categoria. Parece que é por esse motivo que o acampamento dos batistas, que inclui crianças entre seus usuários, desperta nas autoridades um certo descontentamento.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE