Mais de 330 tribais trocam o cristianismo pelo hinduísmo

| 26/10/2004 - 00:00


Pelo menos 336 cristãos tribais foram "reconvertidos" ao hinduísmo no dia 17 de outubro, em uma cerimônia em massa organizada pelo Conselho Mundial Hindu em Orissa, na Índia.

A cerimônia aconteceu na remota vila de Baridia, no distrito de Sundargarh, a mais ou menos 450 km a oeste de Bhubaneswar, a capital do estado de Orissa. Aqueles que decidiram mudar sua religião são de várias vilas próximas.

"Esse foi o maior programa de purificação realizado por nós" Gauri Prasad Rath, secretário estadual do Vishwa Hindu Parishad (VHP) ou Conselho Mundial Hindu, disse a Compass.

"Trezentas e trinta e seis pessoas de 80 famílias, que foram seduzidas para tornarem-se cristãs, foram trazidos de volta ao hinduísmo".

Líderes cristãos indianos expressaram choque e horror pelo incidente. "Não é nada a não ser uma campanha de ódio cruel e hostil iniciada pelo VHP", disse John Dayal, presidente da União Católica de Toda a Índia, o maior corpo cristão na Índia. "Falamos ao governo estadual várias vezes sobre esta campanha de ódio".

Testemunhas disseram que os líderes do VHP chegaram em grande número para recolher os aldeões. Então realizaram uma yagna coletiva, ou seja, a cerimônia hindu do fogo. "Água santa" foi aspergida nos cristãos, que totalizavam 144 homens, 117 mulheres, 44 meninos e 31 meninas.

Uma foto da deusa hindu Durga, juntamente com os tradicionais vestidos enrolados no corpo e os saris, foi dada aos cristãos que se converteram ao hinduísmo.

O chefe da delegacia, Y.K. Jethwa, disse que o cobrador do distrito o informou da cerimônia antes que ela acontecesse.

"Os convertidos também deram depoimentos", ele disse. "Todos eles deram uma intimação prévia à administração do distrito sobre suas intenções de abraçar o hinduísmo".

O Ato de Liberdade Religiosa de Orissa requer que qualquer pessoa que queira mudar sua religião deve dar um depoimento por escrito à administração local.

A maioria dos líderes cristãos opôs-se ao Ato, caracterizando-o como uma "Lei de anti-conversão".

"O que é essa coisa chamada de reconversão?" John disse. "A igreja diz que o homem não pode fazer ninguém mudar sua fé. Eu só posso lhe falar sobre qual é o caminho de Deus. Cabe a você decidir. Quando se convertem ao  cristianismo, isso é obra do Espírito Santo".

John também disse que os aldeões que se reconverteram ao hinduísmo não eram originalmente hindus. Muitos dos grupos tribais da Índia eram animistas - adorando o sol ou a natureza - mas não tradicionalmente hindus.

"Nós acreditamos que os tribais têm sua própria fé", John explicou. "Então, se foram convertidos, o foram de qualquer que seja a sua religião, não do hinduísmo".

"E quando o VHP diz que está os reconvertendo, na verdade eles estão os convertendo ao hinduísmo e estão fazendo isso à força".

Gauri despediu os argumentos de John e acusou os missionários de "enganar" os tribais. "Eles dizem aos tribais pobres que há muitas superstições no hinduísmo. Eles os seduzem com arroz, dinheiro e empregos. Também tomam propriedades".

Gauri também afirmou que os tribais tomaram a decisão por sua própria vontade. "Essas pessoas nos contataram, nós não fomos até eles", ele insistiu.

De qualquer forma, ele cedeu ao dizer que a maioria das pessoas que afirmavam ser cristãs, e então reconverteram-se, não eram praticantes ativos da fé cristã. "Alguns estavam indo à igreja, outro não".

Gauri disse que o VHP deverá continuar a sua iniciativa de reconversão até que os missionários terminem seus programas evangelísticos.

Essa é a segunda iniciativa iniciada pelo VHP nas últimas semanas. Em setembro, 75 cristãos tribais foram reconvertidos de uma maneira similar no distrito de Mayurbhanj, local do assassinato brutal do missionário australiano Graham Staines e de seus dois filhos, em janeiro de 1999.

Muitos antigos líderes do VHP participaram da cerimônia, que durou várias horas e incluiu rituais elaborados. Discursos também foram feitos através do sistema de palestras públicas na vila, alertando os tribais a manterem distância dos missionários.

O VHP afirma que os missionários estão convertendo um terço dos distritos em Orissa. Para conter isso, membros do VHP estão agora dirigindo campanhas de advertência nas vilas, lendo passagens do livro sagrado hindu Gita e pregando sermões contra o cristianismo.

"A única solução, em longo prazo, é que todas essas pessoas voltem para o hinduísmo", Gauri concluiu.

Orissa tem uma das maiores concentrações de extremistas hindus da Índia e as comunidades cristãs, por todo o estado, têm sofrido numerosos ataques; o assassinato de Graham é o exemplo mais notório.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE