Fundamentalismo e politização do Islã deram origem a confrontos

| 03/02/2005 - 00:00


Dom Obiora Francis, Vigário Geral de Enugu, ao sudeste da Nigéria, assinalou que o "crescente fundamentalismo e a politização do Islã" foram à origem do confronto entre cristãos e muçulmanos. Em declarações a Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o Prelado recordou que "na Nigéria, cristãos e muçulmanos conviveram durante longo tempo". Entretanto, explicou que desde a aparição de grupos fundamentalistas, a violência cresceu no país.

Apesar disso, disse que a Nigéria, que "sempre esteve à beira do desastre, nunca chegou a ele". Dom. Francis indicou que "em 1985 um governo militar declarou a Nigéria como Estado islâmico fez com que doze estados nortistas introduzissem a sharía, ou lei islâmica, a pesar de que segundo a constituição o país é um estado laico. O Prelado disse que esta "circunstância está prejudicando aos cristãos que vivem em alguns destes estados.

Acrescentou que na islamização do país teve um papel importante em estados como a Arábia Saudita. "A Igreja Católica acredita na liberdade religiosa e no diálogo Inter-religioso", recordou Dom. Francis, "porque uma guerra de religiões não conduz a parte alguma". Por isso fez um chamado a ficar de acordo "para não lutar, inclusive se alguns grupos permitem que se abuse deles".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE