Eritréia continua a pressionar evangélicos em "nível alarmante"

| 27/05/2005 - 00:00


A perseguição de cristãos evangélicos na Eritréia, país no leste da África, continua a aumentar em um nível alarmante, disse, essa semana, um ministro da igreja perseguida.

A Missão Portas Abertas, que tem trabalhado para fortalecer a Igreja Perseguida desde 1955, noticiou segunda-feira que há atualmente 16 pastores e aproximadamente 900 cristãos eritreus mantidos em prisões, campos de confinamento militares e containeres de navio por se encontrarem secretamente para orarem e realizarem cultos fora das igrejas aprovadas pelo governo.

Dentre os que foram detidos, nenhum foi acusado perante um tribunal ou levado a julgamento pelas autoridades do governo, afirma Portas Abertas.

"A situação para os cristãos na Eritréia continua a se deteriorar", disse o presidente da Portas Abertas do Reino Unido, Carl A. Moeller. "Durante o ano passado, o número de cristãos evangélicos presos por causa de sua fé dobrou. Alguns deles, incluindo jovens, estão trancados em containeres de navio, expostos ao sol quente. Em fevereiro, um grupo de professores de Escola Dominical e seus alunos foram presos enquanto tinham aulas nas dependências da igreja".

De acordo com Portas Abertas, o centro de operações da Segurança Nacional em Asmara, Eritréia, abriu, na semana passada, um novo escritório de segurança para o Ministério da Educação. Fontes dizem que foi criado "para supervisionar e encerrar atividades religiosas em todas as escolas governamentais no país".

"Agora há medidas de segurança no local para informar estudantes de qualquer atividade religiosa", uma fonte local confirmou ao Compass Direct.

No mês passado, a Comissão de Liberdade Religiosa (RLC) da Aliança Evangélica Mundial (WEA) apresentou um relatório sobre a liberdade religiosa internacional à Comissão da ONU de Direitos Humanos. No relatório, o RLC afirmou que, apesar do governo da Eritréia negar relatos de perseguição, fontes confiáveis afiançaram que "a situação durante o ano passado tornou-se pior, não melhor, para os cristãos eritreus. Centenas de cristãos permanecem atrás das grades e são perseguidos simplesmente por seguirem a sua fé".

O RLC informou que nas primeiras três semanas de 2005, houve mais de 200 relatos aleatórios de cristãos que foram presos na Eritréia. "A hostilidade crescente é também evidente em relação aos estudantes, jornalistas e até membros do partido governante que têm questionado as ações do governo", a Comissão acrescentou.

Em um relatório anual recém-publicado pelo Centro Americano de Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF), havia afirmações similares dizendo que o governo da Eritréia estava engajado em "violações particularmente severas de liberdade de religião ou credo".

O USCIRF notou que as forças de segurança da Eritréia invadem cultos privados, realizando detenções em massa dos participantes de reuniões de oração e outros encontros, e mantendo presos aqueles detidos sem acusação por período indefinido, como parte da campanha contra as atividades religiosas daquelas pessoas que não pertencem às denominações religiosas oficialmente reconhecidas. Nos últimos meses, após a designação dada pelo Departamento de Estados dos EUA à Eritréia de "país de preocupação particular", em setembro de 2004, a pressão religiosa do governo aumentou, com uma série de prisões e detenções de clérigos e centenas de outros, o USCIRF afirmou no relatório.

"Por favor, una-se a mim em oração por esses irmãos e irmãs em Cristo que estão presos", disse Carl. "A Portas Abertas dos EUA está adiantando seus advogados em prol deles. Queremos pressionar o governo eritreu a dar liberdade religiosa a todos os adoradores".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE