Sacerdote afirma que martírio é real no Sudão

| 11/07/2005 - 00:00


Em um discurso pronunciado perante os amigos e colaboradores ingleses da organização Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o sacerdote sudanês Todo Logworo afirmou que o martírio ainda é "o preço mais alto a se pagar" para que se viva no Sudão a tão esperada paz entre o norte e o sul.

Na sede da AIS, em Liverpool, o sacerdote afirmou que "o martírio é real". Os cristãos desse país africano se deparam com um dilema: sucumbir à tentação de permanecerem calados ou terem a ousadia de "proclamar sua fé em defesa da liberdade religiosa".

O presbítero, que perdeu uma perna há 20 anos durante o conflito no norte do Sudão, manifestou que existem muitos problemas para os cristãos no país: a demolição de igrejas, as dificuldades para conseguir trabalho, as pressões que sofrem dos muçulmanos para usar a roupa típica da religião deles e os castigos que suportam ao serem encontrados com álcool.

Mesmo assim, ele louvou "o trabalho dos bispos do país, liderados pelo arcebispo de Cartum, cardeal Gabriel Zubeir Wako, que tem a ousadia de defender os direitos humanos, a dignidade do indivíduo, a igualdade e a justiça. Estamos orgulhosos deles porque são verdadeiros líderes". "A política e a religião são inseparáveis no Sudão. Com o islamismo como a religião do Estado, este é um tempo de temor para ser católico", acrescentou.

Texto enviado por Daila Fanny.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE