Multidão ataca república de estudantes de Teologia

| 02/08/2005 - 00:00


Uma multidão furiosa atacou pela segunda vez uma república de estudantes de uma escola de Teologia em Pulo, distrito de Makasar, leste de Jarkarta, causando prejuízos de mais de 10 mil dólares.

A república da Escola Teológica Arastamar ainda estava em construção quando foi atacada e abrigava estudantes de outras províncias, que em geral não podem pagar por outra acomodação. Funcionários da escola levantaram paredes e cercas provisórias para que 300 estudantes tenham lugar para dormir no prédio danificado.

O reverendo Matheus Magentang, diretor da escola, disse que membros do FPI (Defensores do Islã) acusaram a escola de estar construindo uma igreja. "Eles solicitaram que o governo barrasse o projeto de construção", disse o reverendo.

Ele explicou que a escola possuía uma licença preliminar para a república de estudantes, embora a licença definitiva ainda não tivesse sido concedida.

"Não estávamos construindo uma igreja lá", insistiu o reverendo Mangentang. "Desde que compramos o terreno, há 10 anos, tínhamos planos de construir uma república. Sempre obedecemos às regras governamentais para construção e para o ensino."

Uma multidão de cerca de 100 pessoas, incluindo membros do FPI, se aproximou do prédio no dia 6 de julho. Testemunhas afirmaram que um oficial do governo local os acompanhava.

A multidão barulhenta chegou às 11 horas, enquanto os estudantes estavam em uma reunião de oração no campus. A multidão destruiu o telhado e o terceiro andar do prédio, danificando paredes do primeiro e do segundo andar, despedaçando a mobília, incluindo mesas e cadeiras.

O reverendo Mangentang disse que não houve aviso. "Eles deveriam discutir isso conosco antes de resolver as coisas pelas próprias mãos", disse ele ao Compass.

No dia 14 de julho, a multidão retornou e tentou destruir o que sobrou do prédio, mas os estudantes impediram que causassem um dano maior.

Oposições não são uma novidade para Arastamar. Em agosto de 1999, muçulmanos radicais apedrejaram a escola. Em março de 2001, houve uma tentativa fracassada de incêndio. A escola foi estabelecida em maio de 1988 e registrada no Ministério de Assuntos Religiosos em 2003.

Os líderes muçulmanos locais, como Habib Hussin, professor da Universidade da Indonésia, se opunham à presença da escola, apesar de todas o empenho da direção da escola em cumprir com as exigências legais.

O reverendo Mangentang disse que o ataque foi um crime contra pessoas inocentes. Arastamar tem um total de 1.219 estudantes. "Muitos são pobres e não têm para onde ir", disse. "Agora, cerca de 300 deles terão de dormir em um prédio com paredes provisórias até que tenhamos os recursos para os reparos".

O reverendo Mangentang disse que os prejuízos são estimados em cerca de 100 milhões de rúpias (US $ 10,175).

A direção da escola decidiu contrariamente a uma ação judicial, mas irá levantar fundos para reparar os danos e completar o projeto do prédio.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE