Exemplo de perseverança

| 26/08/2005 - 00:00


No dia 19 de agosto, Portas Abertas noticiou a morte do líder da Igreja na China, Allan Yuan, sob o título " Fui chamado para servir meu Deus na China Allan Yuan".

O texto a seguir corresponde à íntegra do texto publicado na ocasião, inclusive a tradução do trecho em inglês, e traz uma pequena retrospectiva da vida desse irmão, um exemplo de perseverança, que, sem jamais abrir mão de sua fé, contribuiu grandemente para o crescimento da Igreja chinesa:

Allan Yuan, um símbolo do movimento das igrejas clandestinas na China, morreu no dia 16 de agosto, em Pequim. Ele estava com 91 anos.

Um pequeno funeral aconteceu em Beijing, no dia 19. Ao deixar sua casa para ir ao funeral, Alice, esposa de Yuan, estava calma e demonstrava tranqüilidade porque seu marido, que fora tão perseguido, estava finalmente com o Senhor.

"Nossa família já estava preparada para a sua morte", disse Alice, que conta com o apoio dos seus seis filhos, sendo que um deles, Yuan Fu Sing, continuará liderando a igreja do pai.

Allan Yuan liderou congregações antes e depois de ser preso por causa de sua fé em Cristo. Ele foi um dos 11 pregadores, incluindo Watchman Nee e Wang Ming Dao, que se recusaram a unir-se ao Movimento Patriótico das Três Autonomias (MPTA, que representa a igreja oficial da China) depois que o regime comunista de Mao Tse-tung teve início, em 1949. Em 1958, quando Yuan estava com 44 anos, ele foi preso porque o regime determinou que sua fé cristã era "contra-revolucionária".

Yuan foi sentenciado à morte, sem possibilidade de obter liberdade condicional, deixando sua mãe, sua esposa e seis filhos, com idades entre 6 e 17 anos, sem meios de sustento. Entretanto, em função das mudanças política na China nas décadas seguintes, ele foi libertado em dezembro de 1979, tendo cumprido uma pena total de 21 anos e 8 meses.

Seu encarceramento incluiu 14 anos na região nordeste, onde as temperaturas são muito baixas. No início, ele e outros prisioneiros dormiam ao relento, sob uma temperatura de - 30ºC, até construírem suas celas. Ele também resistiu a seis meses na solitária, em uma cela tão pequena que o deixou temporariamente aleijado. Durante seu encarceramento ele não tinha acesso à Bíblia nem contato com outros cristãos.

"Seu corpo físico era fraco, mas seu espírito era forte como um gigante", disse Johnny Li, correspondente internacional de Portas Abertas. "Yuan pagou um alto preço simplesmente porque se recusou a comprometer sua fé em Jesus."

Depois de sair da prisão, Yuan ficou por 10 anos em liberdade condicional, sem os direitos de cidadão. Ele continuou a levar muitas pessoas a Cristo, ao compartilhar o evangelho com aqueles que iam visitá-lo em sua casa.

Em 1998, quando batizou mais de 300 novos cristãos, ele foi colocado sob prisão domiciliar. Mesmo assim, poucos anos depois, ele pastoreou uma congregação "protesto" - uma igreja doméstica clandestina com encontros abertos de adoração. Até 2003 ele batizava cerca de 300 novos convertidos por ano nas regiões ao redor de Beijing.

No começo de agosto, a polícia tentou dispersar um culto de batismo ao ar livre. A equipe ministerial de Yuan conseguiu batizar algumas centenas de pessoas. Os cultos escondidos continuam.

Portas Abertas começou a enviar Bíblias para Yuan em 1986. Jonnhy Li conta que viu Yuan pela última vez em julho de 2004. "Ele disse: No próximo domingo teremos batismos. Não sei quantos pessoas virão ou se o PSB (Departamento de Segurança Pública) virá nos impedir, mas nós batizaremos!"

No domingo seguinte, 453 pessoas passaram pelas águas do batismo, conta Jonnhy Li.

Yuan nasceu em 1914 no sul da China, e sua família se mudou para Beijing em 1928. Aos 17 anos, Yuan começou a procurar respostas para três questões: Por que a vida era tão sem sentido; como alguém poderia vencer o pecado e a tentação para viver uma vida santa; e o que aconteceria depois que a vida na terra terminasse? Inicialmente desprezou o cristianismo por ser uma religião ocidental, mas depois de uma busca infrutífera pelo budismo e pelo confucionismo, um ano depois ele recebeu Cristo. Ele relembrava: "Deus se revelou ao meu coração e naquele momento ele me deu a fé para crer nele. Ali eu confessei meus pecados e aceitei Jesus como meu Salvador pessoal".

Em 1938 ele completou seus estudos no Seminário Teológico Far East. Em 1949 ele mudou-se com sua esposa e seu filho para a província de Hebei, para um ministério evangelístico na zona rural. Voltando a Beijing em 1945, começou uma igreja em um salão alugado em 1946, junto com um missionário norueguês. Os batismos aumentaram de 20, em 1947, para 40, em 1949, com outros 52 em 1952, de acordo com a biografia de Allan Yuan escrita por Lydia Lee, "A living sacrifice" ("Um sacrifício vivo").

De acordo com a biografia, quando os comunistas chegaram ao poder em 1949, muitos pastores e missionários fugiram do país. Yuan recebeu convites para pastorear na Indonésia e em outros lugares. Ele não aceitou. "Por que eu deveria ir para fora do país?", disse Yuan a um colega pastor em Beijing. "Fui chamado para servir a Deus na China, e Ele preparará um caminho para mim".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco