Evangélicos protestam contra repressão religiosa

| 22/09/2005 - 00:00


Membros da igreja evangélica União do Evangelho Pleno em Belarus se reuniram na capital Minsk, em 15 de setembro, para protestar contra a "repressão religiosa" do governo, em meio às tentativas das autoridades de fechar suas operações, segundo fontes da igreja. A maioria dos protestantes era da igreja Nova Vida em Minsk, uma das 60 congregações da denominação, a qual grupos de direitos humanos dizem ter se tornado um símbolo da perseguição sofrida pelos cristãos em Belarus, uma ex-república soviética, descrita pela Secretária de Estado dos EUA como "a última ditadura verdadeira" na Europa Central.

Os cristãos se reuniram juntamente "com suas famílias, incluindo crianças, do lado de fora do edifício do Conselho Executivo da Cidade de Minsk, informou o grupo de direitos humanos Christian Solidarity Worldwide (CSW - Solidariedade Cristã Mundial), que soube da manifestação. Eles estão protestando contra uma decisão tomada pelas autoridades da cidade de confiscar o terreno no qual a igreja deles está localizada. As autoridades da cidade se recusaram a responder aos pedidos dos líderes da igreja para se reunirem e discutir a decisão. A igreja, cujo número de membros é de 600 pessoas, notificou o prefeito Michael Pavlov de seu plano de se reunir em Minsk em 15 de setembro.

É verdade que a terra e o edifício que nos pertencem legalmente está sob ameaça de ser tomado. O abuso e a opressão organizada de nossa igreja mostram o desejo das autoridades de se livrar de um dos movimentos protestantes mais dinâmicos", explicou a Vida Nova em uma mensagem obtida pelo Centro de Notícias BosNewsLife em Budapeste.

"As famílias que protestam estão se colocando sob o risco das sérias repercussões, ao tomar as ruas desta forma", alertou a CSW.

Não estava imediatamente aparente, entretanto, se as forças policiais e os agentes de serviço secreto iriam interromper a manifestação, como fizeram em protestos políticos anteriores contra o visível regime autoritário do presidente Alexander Lukashenko. Mas a Nova Vida salientou que qualquer ação tomada seria "perdoada".

"Durante o passado nós tivemos que lutar muito por nossos direitos. As autoridades continuam sua pressão... Mas com o auxílio de Jesus, encontramos força em nossos corações para perdoar e amar nossos perseguidores, abençoando-os como está escrito na Palavra".

Observadores de direitos humanos dizem que a situação da denominação da Igreja União do Evangelho Pleno é uma ilustração da situação geralmente difícil para igrejas não-ortodoxas em Belarus.

As dificuldades estão ligadas à controversa Lei de Liberdade de Consciência em 2002, a qual requer que todas as igrejas existentes se re-registrem. "O propósito desta lei parece ter sido restringir os movimentos religiosos e seu crescimento, que estão fora da igreja oficial", disse a CSW.

De qualquer forma, as autoridades bielo-russas negam incisivamente abusos aos direitos humanos e sugeriram que elas agem apenas contra aqueles que minam a sociedade do país.

Texto enviado por Daila Fanny.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE