Governo chinês atrapalha funeral de bispo clandestino

| 19/10/2005 - 00:00


"O governo nos trapaceou", disse uma fonte do "AsiaNews", no dia 15 de outubro, por ocasião do funeral de dom Peter Zhang Bairen, bispo católico não-oficial.

As autoridades locais aceitaram a realização de um funeral público para o bispo, mas antes eles se certificaram de que o máximo possível de fiéis não se aventuraria a sair de suas casas. Eles fizeram circular ordens secretas que proibiam a participação na cerimônia. A medida não conseguiu deter as 7 mil pessoas, de igrejas oficiais e clandestinas que foram hoje a Zhangjiatai, o local de nascimento do bispo, para prestarem as suas últimas homenagens.

Dom Peter, não reconhecido pelo governo como um bispo, morreu no dia 12 de outubro, aos 91 anos. No dia 13, o ancião da diocese de Hanyang, Frei Chen, recebeu uma visita dos representantes do governo, que aceitaram o funeral público para o bispo. Entretanto, de acordo com fontes do "AsiaNews", já antes dessa visita, o governo de Hubei entrou em contato com todas as dioceses e paróquias da província, para alertá-los de que a participação no funeral de Dom Peter estava proibida. Foi apenas depois dessa campanha de intimidação que os representantes do escritório local de Assuntos Religiosos foram a Zhangjiatai e concordaram com o funeral.

Uma fonte do "AsiaNews" disse que os crentes de Hanyang se sentiram "trapaceados" pelo governo, que orquestrou a situação toda "para livrar a sua cara" na opinião pública internacional.

O serviço começou às 9 da manhã e foi até às 16 horas. Ele foi presidido pelo próprio Frei Chen. Quinze padres concelebraram, entre eles estavam alguns da igreja oficial, que se tornaram padres graças a Dom Peter.

De acordo com a legislação local, os restos de Dom Peter foram cremados e a urna com suas cinzas será mantida sob o altar da igreja de Zhangjiatai.

Os depoimentos reunidos pelo "AsiaNews" sustentam a participação fervorosa e emocional da congregação de milhares de fiéis no funeral.

Haveria, entretanto, muito mais pessoas e padres se o governo não houvesse realizado sua campanha de intimidação preliminar.

O governo local proibiu o uso do título "bispo" na cerimônia: apenas as designações "padre" e "ancião" foram permitidas. Os líderes da diocese, entretanto, não desistiram com as ameaças e colocaram uma faixa contendo a inscrição: "Dom Peter Zhang Bairen, bispo não-oficial da Diocese de Hanyang".

Representantes do governo local estavam presentes no funeral como observadores. Por tradição, eles levaram um ramo de flores com a dedicatória "Ao ancião Sr. Zhang Bairen". A polícia garantiu ordem e segurança durante o serviço.

Durante sua homilia, o Frei Chen relembrou o falecido bispo desta forma: "Dom Peter foi um bispo corajoso, fiel ao papa; viveu sua vida inteira sempre fiel ao Senhor e à Igreja cristã, sem nunca abandonar sua fé, mesmo em face às ameaças das forças políticas".

Desde 1955, a obediência de dom Peter ao papa lhe custou 24 anos na prisão ou no trabalho forçado.

Texto enviado por Daila Fanny.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE