Novas Tribos pode recorrer ao Supremo Tribunal

Portas Abertas • 20 out 2005


A Missão Novas Tribos vai recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), se for necessário, para reverter a expulsão anunciada pelo presidente Hugo Chávez na semana passada. A organização recebeu apoio de igrejas evangélicas e de meios de comunicação.

Nós vamos pedir ao STJ a anulação desse ato administrativo e vamos solicitar amparo constitucional, revelou o advogado da missão, Fernando Andrade. Ele argumentou que o decreto de expulsão, que estaria para ser assinado, é inconstitucional.

O presidente Hugo Chávez denominou a Novas Tribos como uma verdadeira penetração do imperialismo nas áreas amazônicas venezuelanas, e anunciou, na quarta-feira da semana passada, a determinação irrevogável de expulsá-la do país.

Andrade contrapôs que Novas Tribos representa uma missão evangélica venezuelana, integrada por membros canadenses, norte-americanos e venezuelanos, que realizam trabalho de evangelização entre indígenas da região.

O vice-presidente da missão na Venezuela, Tim Fyock, e o diretor da Novas Tribos, Marcos Brito, reuniram-se com líderes do Conselho Evangélico, de quem receberam apoio, manifestado em comunicado público.

Os líderes evangélicos viram a situação como uma afronta a Novas Tribos, um ataque às igrejas evangélicas e à liberdade religiosa no país, segundo Brito.

O diretor da Novas Tribos informou que das 160 pessoas que integram a missão apenas um pequeno grupo trabalha em 12 tribos indígenas ao sul do país. Nem todos os missionários da Novas Tribos são norte-americanos, mas dentre eles também há colombianos, britânicos. Brito assegurou que eles evangelizam os indígenas sem atropelar as culturas autóctones.

Novas Tribos, informou, é financiada por doações de igrejas e de particulares. Ele negou que recebam recursos do governo dos Estados Unidos e de alguma transnacional.

A missão continuará usando os meios públicos para responder às acusações contra ela formuladas e para pedir ao presidente Chávez que volte atrás na sua intenção. Ainda mantemos a esperança de que essa situação possa ser resolvida, afirmou.

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco