Fundamentalistas conseguem interditar construção de igreja

| 16/11/2005 - 00:00


Em Java Ocidental, na cidade de Cikarang Baru, no local onde uma igreja cristã estava sendo construída, havia um cartaz com a seguinte declaração: "Esta propriedade foi interditada por muçulmanos".
 
O cartaz pode ter desaparecido, mas em seu lugar os oficiais do governo local colocaram uma placa de madeira que dizia: "Todas as atividades de construção do prédio da igreja Graha Bintang Timur, em Kawasan Jababeka II, estão temporariamente interrompidas".
 
A notificação foi assinada pelo secretário do distrito de Bekasi, o doutor H.R. Heri Koesaeri. Demonstrações islâmicas de descontentamento com a futura igreja tiveram início em 19 de setembro, quando 500 pessoas de organizações islâmicas extremistas gritavam em uníssono e levantavam cartazes contra a construção do edifício. Dez dias depois, aproximadamente 200 delas retornaram a fim de se manifestarem contra o projeto.
 
Em 3 de outubro, elas novamente retornaram e exigiram que houvesse interdição para desenvolvimentos futuros do projeto. Os manifestantes gritavam: "Não se deve construir nenhuma igreja na área de Cikarang". Eles também exigiram que as autoridades locais proibissem qualquer pessoa de dar continuidade à construção.
 
A empresa que administra o parque industrial, a PT. Jababeka Tbk., possibilitou a construção das instalações da igreja GPdI Kalvari, conforme o pastor da congregação, Benny Assa. O chefe do distrito de Bekasi, o Dr. H.M. Saleh Manaf, designou a Área Industrial de Jababeka para edificar a igreja, segundo ele. Contudo, satisfazer todas as exigências legais não foi suficiente para evitar oposição muçulmana.
 
Um porta-voz da PT. Jababeka confirmou que o local já havia sido designado para a igreja, já que os cristãos não têm lugar para adorar. Cristãos de várias denominações da região estavam usando lojas, prédios e casas para cultuar a Deus.
 
De acordo o líder de uma das áreas de grupos islâmicos que se opõem à construção da igreja, Habib Novel Al-Habsyi, do Movimento Islâmico Salafy, "ter uma igreja na área é ridículo, porque não há ninguém na Área Industrial de Jababeka que seja cristão". Ele alegou que todas as pessoas que vivem na região são muçulmanas.
 
Al-Habsyi declarou que as pessoas foram induzidas a assinar a aprovação para um prédio cristão na área e que, somente por essa razão, ele acredita que a permissão para a construção da igreja deveria ser anulada.
 
"Encontramo-nos com o secretário do distrito, e ele nos entregou uma notificação escrita para interrupção da construção onde anteriormente havíamos colocado dois cartazes," disse Al-Habsyi.
 
Contudo, o chefe do distrito de Bekasi, Manaf, disse a Compass que a recomendação para a construção do prédio da igreja foi corretamente arquivada.
 
"Se houver qualquer grupo de pessoas que se oponha à minha recomendação, então eles estão se opondo à política governamental, e terão que enfrentar a lei", disse ele.
 
No local onde uma mesquita está sendo construída, na região de Cikarang, há um cartaz proclamando a desaprovação da construção do prédio da igreja no Parque Industrial de Jababeka. Os autores deste cartaz identificam-se com acrônimos e nomes de várias organizações islâmicas: FPI, GMIS, FUI, Hizbullah Front, Ababil Brigade, Forkammi, FKMMB e KISDI.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE