Cristãos são perseguidos em Mianmar

| 19/12/2005 - 00:00


O Christian Freedom International (CFI) publicou, no início deste mês, uma entrevista com um "karen" (uma etnia birmanesa) chamado Saw Stephen, que testemunhou em primeira mão a perseguição que o governo militar birmanês pratica contra os cristãos.

Saw, 34 anos, tentou trabalhar como pastor no estado Karenni de Mianmar desde 1996, mas foi hostilizado pela junta militar birmanesa, conhecida como Conselho de Desenvolvimento e Paz do Estado (SPDC).

"Minha primeira igreja, a Igreja Batista Shadow, tinha mais de 250 pessoas, mas o governo militar de Mianmar veio e a destruiu", contou ele a CFI. "Isso aconteceu em abril de 1999. Os militares queimaram as casas das pessoas e vieram com machados e paus e destruíram a igreja".

"Eles me capturaram e me levaram ao gabinete militar. Depois, me puseram sob prisão domiciliar por quatro meses em uma pequena sala. Eu não pude entrar em contato com minha família", ele acrescentou.

Após sua libertação, o pastor foi reinstalado em outra igreja, a Igreja Batista Law Da Lay, no Estado Karenni, que era freqüentada por mais de 120 famílias e mais de 600 aldeões. Entretanto, essa igreja birmanesa foi ameaçada de novo e fechada pelos militares.

"No dia 5 de novembro de 2003, o governo militar veio à vila e disse para nos mudarmos de lá. Eles disseram: Se vocês não se mudarem em uma semana, vocês serão nossos inimigos. Eles não explicaram porque tínhamos que nos mudar", lembra-se Saw. "Os soldados destruíram nossa igreja".

Saw relatou que os membros da igreja não ficaram mais na vila. Eles foram viver na selva ou nos campos de refugiados na Tailândia. Ele também observou que o governo birmanês não permite que as igrejas sejam construídas ou reconstruídas.

Saw vive fugindo: "Agora eu não posso ficar muito tempo em uma área. Então fico indo de lugar para lugar. Não é seguro para mim".

"O governo birmanês é anticristão", afirmou Saw. "Eles têm medo de que o cristianismo ocidentalize Mianmar. Segundo eles, isso destruirá a cultura birmanesa. Eles vêem o cristianismo como a principal religião do Ocidente, e, por isso, o odeiam e temem. Líderes militares nos disseram que o povo de Mianmar deve ter cuidado com os cristãos, pois, segundo eles, as políticas ocidentais podem vir e nos alcançar."

Saw concluiu dizendo que, enquanto isso, a fome em Mianmar continua a crescer.

"As pessoas estão famintas lá. Vejo muitas crianças morrendo de fome. Há muitas delas morrendo, sem nada para comer, nenhum alimento. Ninguém pode mudar Mianmar, só Deus pode fazer isso. Por favor, orem por Mianmar!".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE