Situação dos direitos humanos não muda com afastamento de Fidel

| 05/08/2006 - 00:00


A transferência provisória do poder do líder comunista Fidel Castro ao seu irmão mais novo Raul não indica nenhuma mudança na situação dos direitos humanos, segundo a Sociedade Internacional de Direitos Humanos (ISHR, sigla em inglês).

O ditador, de 79 anos, que governa Cuba desde 1959, anunciou em 31 de julho que iria passar por uma cirurgia no intestino. Acredita-se que ele vá passar várias semanas -até mesmo seu aniversário de 80 anos, em 13 de agosto - no hospital. Ele delegou suas responsabilidades ao seu irmão mais novo e futuro sucessor Raul, de 75 anos.

Raul Castro "é ainda mais comunista" que Fidel, comentou um porta-voz da ISHR em Frankfurt à uma agência evangélica de notícias. O futuro imediato parece "muito incerto", segundo a ISHR.

Direitos prejudicados

A organização monitora a situação dos direitos humanos em Cuba. Segundo a ISHR, o regime comunista é um dos piores violadores das liberdades fundamentais no mundo. Os direitos de expressão e de religião são seriamente prejudicados. Líderes cristãos são presos como suspeitos de oposição política.

Cuba tem 11,2 milhões de habitantes. Quase 50% são membros de igrejas, católicos em sua maioria. Do total, 36% não possuem filiação religiosa e 17% são espíritas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE