Esperança em tempos de incerteza

| 01/11/2006 - 00:00


O pastor Mocsin L. Hasim, 47, e sua filha Mercilyn, 22, foram mortos a tiros por três homens no dia 3 de junho, em uma área isolada de Zamboanga do Norte. O pastor Mocsin havia acabado de realizar um casamento e viajava de volta com sua filha em uma motocicleta quando o incidente aconteceu. Ele deixou esposa, dois filhos e uma filha (leia mais).

Depois da tragédia

Como alguém segue adiante após a morte de um ente querido?

A Portas Abertas visitou Evelyn Hasim quatro meses depois da morte de seu marido, o pastor Mocsin, e de sua filha Mercilyn. Ela estava em um apartamento fornecido a ela e a sua família pela Aliança Cristã e Missionária de Igrejas da Filipinas (CAMACOP). Esse era um refúgio temporário. A família fugiu de sua cidade natal, em Zamboanga do Norte, para um lugar seguro logo depois do enterro do pastor Mocsin. Os parentes e os líderes da igreja aconselharam Evelyn, dizendo que ela deveria encontrar outro lugar, pois ainda havia ameaças contra a vida dela e de seus filhos.
 
A Portas Abertas encontrou-a em uma manhã ensolarada, quando ela se preparava para vender turon (uma iguaria feita com bananas fritas) e lumpia (uma espécie de rolinho primavera). Vender comida na rua tem sido a fonte de renda de Evelyn ultimamente. Ela teve que aprender rápido, já que era o pastor Mocsin quem tomava conta de toda a família. Mas ele não está mais com eles. Com Evelyn ficaram uma filha de 21 anos, que está grávida de oito meses, um genro que também está desempregado, um filho de 19 anos, que teve de, interromper os estudos e um filho adotado de 4 anos. Com a pequena renda, Evelyn vive um dia de cada vez, se preocupa com uma refeição por vez.

Sinais de esperança

Enquanto pode-se ver em seus olhos o luto evidente e a dor profunda, sempre que ela fala de seu falecido marido e se sua filha mais velha (Mercilyn), Evelyn também é uma figura de força e determinação.

"Meu filho planeja cursar uma faculdade bíblica, se ele passar no vestibular no ano que vem. Mas, eu lhe disse que deveríamos orar sobre isso, porque isso vai significar que teremos de viver separados. A faculdade fica na cidade, e, em algum momento no futuro, iremos voltar para nossa terra natal. Talvez a faculdade não seja a melhor decisão para nós, como família, no momento. Especialmente com as implicações financeiras de termos que mantê-lo na cidade".

De qualquer forma, ela está aberta a tal possibilidade - ou seja, de a família continuar na cidade se Deus permitir e sustentar o estudo de seu filho na faculdade bíblica. Na verdade, a própria Evelyn está pensando em cursar algumas matérias na mesma faculdade bíblica, para adquirir algumas habilidades para o ministério. Ela começou a fazer planos para si e para o ministério, um sinal de que a esperança existe mesmo em meio à dor.

Perdão e fé

Evelyn planeja ficar na cidade de Zamboanga até que a situação em sua cidade natal tenha se acalmado. "Continuaremos o trabalho que meu marido deixou para trás. Isso é o desejo dele para nós."

"Meu genro, que era muçulmano, abraçou agora a fé cristã, e é o mais corajoso de nós. Ele é quem nos encoraja a voltar à nossa cidade e continuar o trabalho de seu sogro. Mas eu não acho sábio voltar agora. Talvez, mais tarde...", Evelyn disse firmemente, assumindo a liderança da família.

Quando perguntamos como ela se sente em relação aos assassinos de seu marido, Evelyn nos disse: "Eu não sinto raiva dos assassinos nem dos muçulmanos em geral. Acredito que o sangue de meu marido foi derramado com um propósito. Deus irá cumprir seu propósito com a morte do pastor Mocsin. Oro para que a sua morte traga a salvação de seus assassinos".

A outra filha de Evelyn, Emilyn, também compartilhou seus pensamentos. "Os assassinos levaram a bolsa do meu pai. Dentro dela tinha uma Bíblia. Nossa oração é que eles a leiam e sejam salvos".

Evelyn terminou agradecendo a Portas Abertas pelas orações e pelo apoio mensal fornecido a ela e à sua família. "Leve o nosso obrigado a todos os que oraram e continuam a orar por nós. Obrigado também pelo apoio que têm nos dado. Sem ele, eu realmente não sei como poderíamos ter sobrevivido a essa crise."

"Eu disse à minha família que passaríamos por isso juntos. E seremos vitoriosos. Procuro lembrá-los de que veremos o pastor Mocsin no céu. Nos reuniremos ali!", Evelyn declarou, com convicção em meio a um tempo de incertezas.

Pedidos de oração:

 Por Evelyn, a viúva - Que ela possa experimentar uma cura completa. Ela sempre foi frágil por causa do diabetes. Ela disse que não pode ficar doente agora, já que tem de cuidar da família.

 Por Emilyn, a filha - Ela vai ter seu bebê em novembro. Ore por um parto seguro e normal. Peça provisão financeira para cobrir as despesas médicas e as urgências diárias.

 Pela justiça de Deus - Os assassinos continuam soltos. Havia dois suspeitos que foram presos no começo, mas aconteceu de estarem envolvidos em outro assassinato, não o de Mocsim. Ore para que os assassinos sejam presos e levados à justiça.

 Pelos obreiros e missionários entre as tribos muçulmanas - Ore para que eles tenham sabedoria, discernimento, sensatez e proteção enquanto seguem o chamado de Deus.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE