Estudiosos pedem segurança às minorias durante as eleições

| 10/11/2006 - 00:00


Estudiosos de um debate feito dia 8 de novembro pediram que o governo provisório propiciasse uma atmosfera agradável para que 800 mil eleitores de grupo minoritários possam exercer, sem medo, seu direito ao voto nas próximas eleições.

Eles disseram que as minorias religiosas não se atreveriam a ir às zonas eleitorais  por causa da terrível perseguição política encabeçada pelos ativistas da coligação liderada pelo Partido Nacional Bengalês - o BNP. (leia mais sobre a situação do país aqui).

A experiência com as eleições de 2001 ainda amedronta as minorias.

Para esses estudiosos, o governo provisório deve tomar as medidas necessárias para que os eleitores das minorias sintam-se seguros e possam votar de acordo com sua livro vontade.

A União contra o Fundamentalismo e Comunismo do Povo Sul Asiático organizou os debates em um hotel. Foram exibidos dois documentários relacionados à perseguição da coligação partidária contra as minorias.

Hamida Hossain, do centro de direitos humanos e ajuda legal Ain O Salish Kendra, disse que as atrocidades contra as comunidades minoritárias visavam intimidá-los a não irem votar nos candidatos de sua escolha.

Segundo Hamida, a coligação, composta por quatro partidos (dois deles islâmicos) ainda realizou atos de violência para expulsar as minoras de suas terras. Dessa forma os agressores poderiam se apossar dos terrenos e propriedades abandonados.

Ela ainda observou que a maioria dos atos de violência poderiam ter sido evitados se o governo tivesse tomados as medidas de segurança adequadas a tempo.

Waliur Rahman, do Instituto de Assuntos Internacionais e Legais de  Bangladesh, disse que já era tempo de exterminar o extremismo religioso. A nação correria riscos a não ser que medidas drásticas fossem tomadas agora.

Qazi Faruque Ahmed, da coalizão político-profissional Sammilita Nagorik Andolon, disse que milhares de incidentes de violência ocorridos durante o regime do BNP não foram delatados. Qazi diz que tais incidentes ainda acontecem no país.

Ele intimou a sociedade civil e internacional a enviar pesquisadores às áreas afetadas, para que eles pressionassem o governo provisório a agir em favor das minorias.

Segundo o professor Ajoy Roy, a coligação do BNP recorreu à violência contra as minorias para fazer de Bangladesh uma sociedade uniforme. O professor Kabir Chowdhury disse que o padrão e a magnitude da repressão são assustadores, e que tal opressão só pode ser comparada às atividades dos nazistas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE