Jovens cristãs são agredidas por extremistas hindus

| 30/12/2006 - 00:00


Um grupo de extremistas hindus do Estado de Karnataka, sul da Índia, torturou três jovens que se converteram ao cristianismo, numa tentativa de "reconvertê-las" ao hinduísmo.

O incidente aconteceu em Guruparahalli, a 12 quilômetros de Bangalore, capital do Estado, no dia 14 de dezembro. Um homem identificado apenas como Ramesh invadiu a casa das três irmãs - Jyothi, 20 anos; Nandhini, 18; e Jalaja, 16. Ele pressionou-as para que se "reconvertessem" e, como elas se recusaram, ele as agrediu.

As vítimas, que trabalham em uma fábrica de roupas, freqüentam a igreja Assembléia de Deus. Ramesh, que morava perto dali até três meses atrás, vinha se contrapondo às irmãs desde que elas se converteram ao cristianismo, há alguns meses.

"Os extremistas invadiram a casa das mulheres durante a noite e se tornaram violentos ao encontrar uma Bíblia e outros impressos cristãos sobre a mesa", contou ao Compass o presidente nacional do Conselho Global dos Cristãos da Índia (GCIC, sigla em inglês), Sajan K. George.

Os invasores disseram às irmãs que elas deveriam dar a eles o que eles quisessem e que Jesus não poderia fazer nada por elas. As jovens não reagiram. Isso fez com que os extremistas ficassem mais furiosos, e eles atiraram a Bíblia e os livros ao chão e pisaram em cima.

"Os homens também substituíram um calendário cristão por outro de Sai Baba, um deus hindu", disse Sajan George. "Eles pressionaram as mulheres para que adorassem a imagem de Sai Baba e para que aplicassem tinta vermelha na testa, como sinal de sua conversão ao hinduísmo".

Como elas se recusaram, os extremistas as agrediram. "Eles agarraram a mais nova pelo cabelo e a lançaram contra a parede", disse ele. "Eles agrediram as outras duas irmãs brutalmente. Uma delas chegou a desmaiar, pelo fato de sofrer de asma."

Terceira invasão

Infelizmente, acrescentou Sajan, os pais não vieram em socorro das filhas. "Os extremistas continuaram a bater e a torturar as irmãs por mais de quatro horas e deixaram o local apenas após as 2 horas da madrugada".

O pai das jovens é, conforme se alega, um alcoólatra que vive às custas de suas filhas.

Com medo de mais tensões, as três irmãs tomaram um táxi e foram para a casa de um tio em Bangalore, por volta das 4 da madrugada. Ao saber do que tinha acontecido, o tio das vítimas, identificado apenas como Natesh, registrou uma queixa na polícia.

A polícia prendeu Ramesh, que foi solto sob fiança no dia 20 de dezembro. Os policiais estão investigando o caso.

Sajan George disse que essa foi a terceira vez que os extremistas invadiram a casa das irmãs. Ramesh e os outros foram à casa pela primeira vez no dia 13 de dezembro para adverti-las que não freqüentassem a igreja nem lessem livros cristãos.

Quando eles retornaram na manhã de 14 de dezembro, encontraram Nandhini lendo a Bíblia, o que os deixou furiosos. Eles advertiram as irmãs novamente e prometeram voltar à noite, quando então as atacaram.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE